Casos de câncer em estágio avançado podem aumentar devido pandemia

Casos de câncer em estágio avançado podem aumentar devido pandemia

Publicado em 29/06/2020 por Revista algomais às 5:00
Estimativa é de que ao menos 70 mil pessoas não foram diagnosticadas com problemas oncológicos nesses meses

Um levantamento realizado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica (SBCO) vem preocupando os médicos oncologistas de todo país. É que recentemente uma pesquisa projetou que cerca de 70% das cirurgias para tratamento de cânceres não foram feitas no Brasil neste período de pandemia causada pela covid-19, e isso pode trazer sérios danos aos tratamentos.

“Segundo a pesquisa, a estimativa é de que ao menos 70 mil pessoas não foram diagnosticadas com problemas oncológicos nesses meses da pandemia no Brasil. Esse índice é muito alto, e preocupa muito quando levamos em conta de que um diagnóstico precoce e um tratamento feito de forma rápida, é fundamental para um bom prognóstico da doença”, afirma a médica Cecilia Lima, cirurgiã oncológica do Real Instituto de Cirurgia Oncológica.

Outro levantamento, agora da Sociedade Brasileira de Patologia (SBP), aponta que até os exames de rastreio, como biópsias e mamografias, por exemplo, apresentaram uma redução de até 80% em relação ao mesmo período do ano passado. “Os pacientes estão com medo de procurar atendimento. Até mesmo os que já têm um diagnóstico de câncer, estão com receio de procurar um hospital para realizar os exames de rotina”, afirma a médica.

Segundo Cecília, a procura por exame de diagnóstico e tratamento de câncer houve uma redução importante no número de atendimentos no consultório, se comparado com o mesmo período no ano passado. “O câncer é uma das doenças que possui alto índice de morte no Brasil. Então, caso exista uma suspeita, ou até mesmo um diagnóstico mesmo, a indicação é continuar o tratamento. O câncer não vai estacionar, ele continuará evoluindo e quanto mais tardio o diagnóstico ou tratamento, menor a possibilidade de cura. A orientação é que o paciente tenha todos os cuidados necessários e continue a investigação e tratamento”, finaliza a médica.

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »