Fernando de Noronha terá estudo epidemiológico para mapear Covid-19 na ilha

Fernando de Noronha terá estudo epidemiológico para mapear Covid-19 na ilha

Publicado em 04/05/2020 por Revista algomais às 5:05
Foto: Acervo ATDEFN

A Administração de Fernando de Noronha fará um estudo epidemiológico na ilha para avaliar a circulação do novo Coronavírus na população do arquipélago. Cerca de 900 pessoas serão testadas para a Covid-19. A expectativa é de que a pesquisa, que tem apoio do Ministério da Saúde e de Universidades públicas brasileiras, seja iniciada na primeira quinzena de maio.

Os testes serão realizados em homens e mulheres de faixas etárias diferentes através de amostras aleatórias por regiões, representando o conjunto da população da ilha. O estudo será feito em cinco fases pelo período de 12 meses, a partir de maio de 2020. As fases seguintes acontecerão com 30, 60, 180 e 360 dias após a primeira.

“A pesquisa vai nos auxiliar a entender a circulação do coronavírus na ilha e tomar outras medidas de proteção à comunidade bem como de retorno das atividades no arquipélago. Estamos com um cenário favorável em Fernando de Noronha. Dos 28 casos confirmados no arquipélago 23 estão curados. Atualmente cinco pessoas ainda estão com a doença, em quarentena e sendo acompanhadas pelos profissionais de saúde da ilha e estamos com um caso em investigação. Por isso é preciso que a população continue fazendo seu papel ficando em casa”, disse o Administrador da ilha, Guilherme Rocha.

De acordo com a especialista na área de vigilância de doenças transmissíveis, do Ministério da Saúde e representante da Secretaria Estadual de Saúde, Regina Brizolara, o estudo fornecerá evidências para orientar as ações de vigilância e controle da Covid-19 na ilha e tomadas de decisões pela Administração do arquipélago. “Precisamos entender com mais clareza a circulação do vírus em Fernando de Noronha. Cerca de 80% dos casos da doença são assintomáticos, então para termos 100% de certeza que não está em outros lugares precisamos desse estudo, que irá guiar também sobre o momento adequado para abrir as atividades econômicas e sociais do arquipélago para não termos outras ondas da doença internamente”, explicou.

Serão realizados dois tipos de testes para a Covid-19 na ilha: o PCR em tempo real para detecção do vírus e o teste rápido para detecção de anticorpos. O primeiro será feito através da coleta de material da narina e garganta e será enviado ao Recife para análise. O segundo será realizado na ilha pelo laboratório do Hospital São Lucas através de coleta de sangue. O resultado sai poucas horas.

Os moradores que serão testados irão se disponibilizar de forma voluntária para participarem da pesquisa. A equipe de campo realizará visitas domiciliares para leitura e assinatura do Termo de Consentimento, entrevista e coleta de material para os exames laboratoriais.

A população do arquipélago segue em quarentena até o dia 10 maio por determinação do Governador do Estado, Paulo Câmara. Como mais uma medida para conter o vírus na ilha, a Administração do arquipélago fechou o aeroporto, a princípio até o dia 15 de maio, para a entrada de servidores e profissionais de serviços essenciais. “Essas medidas rígidas se fazem extremamente necessárias nesse momento. Precisamos manter a situação favorável que estamos construindo”, disse o Administrador da ilha, Guilherme Rocha.

(Do Governo de Pernambuco)

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »