PCR monta postos volantes para vacinar crianças, gestantes e puérperas contra gripe

PCR monta postos volantes para vacinar crianças, gestantes e puérperas contra gripe

Publicado em 16/06/2020 por Revista algomais às 9:58
Os três grupos ainda não atingiram as metas estabelecidas pelo Ministério da Saúde. A ação começa nesta terça (16) e segue até sexta (19). Pontos fixos seguem até o fim do mês. Fotos: Andréa Rêgo Barros/PCR

A partir desta terça-feira (16) até a próxima sexta (19), a Prefeitura do Recife disponibiliza 15 postos volantes para intensificar a vacinação contra gripe de três grupos prioritários que ainda não alcançaram as metas estabelecida pelo Ministério da Saúde: crianças de 6 meses a 5 anos de idade, gestantes e puérperas (mães no pós-parto – até 45 dias). No Recife, só 26,4%, 29,2% e 25,9% desses grupos foram imunizados na terceira fase da Campanha Nacional de Vacinação contra Gripe deste ano, que, em parte do período, coincidiu com a quarentena mais rígida (lockdown) na cidade.

Na Campanha de Vacinação Contra Gripe deste ano, a Secretaria de Saúde (Sesau) do Recife imunizou mais de 430 mil pessoas. Ainda há 160 mil doses disponíveis. A abertura de postos volantes acontece três dias depois do lançamento, no último sábado (13), da campanha “Vacina em dia, mesmo na pandemia” por parte do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), a Sociedade Brasileira de Imunizações e a Sociedade Brasileira de Pediatria.

Além de dar continuidade à vacinação em mais de 130 unidades de saúde da cidade, das 8h às 17h, até o dia 30 de junho, o Programa de Imunização do Recife disponibiliza a opção extra dos postos volantes, nesta semana, das 8h às 16h, como forma de ampliar o acesso de crianças, gestantes e puérperas à vacinação. Os locais foram escolhidos em áreas descobertas da Estratégia de Saúde da Família (ESF) e incluem escolas, creches, Centros Comunitário da Paz (Compaz) e Sitio da Trindade, por exemplo. As listas dos 15 postos volantes e dos 130 pontos fixos de imunização podem ser conferidas no site da Prefeitura do Recife (www.recife.pe.gov.br). Nos locais de vacinação não acontece atendimento de pacientes com suspeita ou diagnóstico confirmado de covid-19.

A Sesau Recife também vai aproveitar para imunizar os usuários dos grupos prioritários em consultas já marcadas, além de tentar agendar previamente a vacinação, sempre que possível, para evitar aglomerações. Nas áreas cobertas pela Estratégia de Saúde da Família, serão feitas buscas ativas para imunizar crianças, gestantes e puérperas, assim como adultos de 55 a 59 anos e pessoas com deficiência. Os casos que necessitem de vacinação domiciliar também devem ser agendados.

Nos postos fixos de imunização, nas 130 unidades de saúde, podem se vacinar, além das crianças de 6 meses a 5 anos de idade, gestantes e puérperas, os demais grupos prioritários da terceira fase da campanha: pessoas com deficiência, adultos de 55 a 59 anos e professores que ainda não se imunizaram. Ainda podem se vacinar, também, os grupos das primeira e segunda fases da campanha que ainda não se imunizaram: pessoas idosas, profissionais de saúde, pessoas com doenças crônicas não-transmissíveis e outras condições clínicas especiais (diabéticos, obesos, transplantados, entre outros), detentos e funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens em cumprimento de medida socioeducativa, profissionais das forças de segurança e salvamento (policiais, militares, bombeiros, guardas municipais etc), além dos portuários, caminhoneiros, motoristas e cobradores de transporte coletivo.

DOCUMENTOS – Para agilizar a vacinação, o Programa de Imunização do Recife recomenda que os usuários levem um documento de identificação, a carteira de vacinação e o cartão SUS (se tiverem esses dois últimos). Parte do público-alvo precisa apresentar também documentos que provem a necessidade da imunização. Os professores e os profissionais de saúde, por exemplo, devem levar comprovantes laborais, como crachás ou carteira de trabalho.

Já as mães no pós-parto devem levar documentação que comprove a realização do parto nos últimos 45 dias, como, por exemplo, a certidão de nascimento da criança. As pessoas com doenças crônicas não-transmissíveis e outras condições clínicas especiais devem apresentar prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina. Os portuários, caminhoneiros, motoristas e cobradores de transporte coletivo devem apresentar documento comprobatório, como carteira de trabalho, contracheque com documento de identidade, carteira de sócio dos sindicatos de transportes ou carteira de habilitação (categorias C ou E).

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »