Redução de estômago requer apoio psicológico

Redução de estômago requer apoio psicológico

Publicado em 03/01/2018 por Claudia Santos às 7:14

 

Aqueles que se submetem à cirurgia bariátrica passam por uma série de mudanças física e emocional. Devido a isso é necessário estar preparado psicologicamente para vivenciar essas alterações no corpo. Silmara Batista Brizoti, psicóloga que atua em avaliação e acompanhamento psicológico em candidatos à cirurgia bariátrica, conta que é muito importante que pacientes após fazerem a cirurgia continuem, por certo tempo, participando de encontros com especialista.

“As sessões terapêuticas devem continuar, pois nestes encontros vamos trabalhar as questões relacionadas a sua adaptação psicológica e social, já que são muitas as demandas emocionais pertinentes desse período pós-operatório como a distorção de imagem e outras questões correlacionadas com a mudança no estilo de vida que esse paciente passa a ter”, explica a psicóloga.

Os encontros pós-operatórios são marcados normalmente para 30 dias após a cirurgia, porém logo após a alta hospitalar são feitos contatos e caso haja demanda, o primeiro encontro pode ser antecipado. Há casos de pacientes que sentem a necessidade de ir à consulta já nos primeiros dias e outros mais adiante. Os próximos retornos vão se espaçando entre 60, 120 e 180 dias para que o psicólogo avalie como esse indivíduo está se adaptando a nova rotina.

Esses atendimentos serão mais um bate-papo, onde a psicóloga investigará como o paciente tem se sentido diante da sua nova rotina; se compreendeu as recomendações da equipe multidisciplinar; se está tendo alguma dificuldade em compreender as mudanças que vão ocorrendo no corpo e na mente, e como tem se sentido emocionalmente frente ao processo.

“Por vezes surgem angústias que são provenientes de algumas fantasias, de dúvidas que por vergonha não conversam com outras pessoas, como é o caso da perda de peso X tempo, já que sempre acontece em ritmo diferente para cada organismo”, diz Silmara.

Importância dos encontros após a cirurgia

Silmara salienta que a maioria dos pacientes continua participando dos encontros com o psicólogo por entenderem o benefício que vai proporcionar a eles continuar tendo um espaço para falar de si, das suas angústias, questionamentos, sem serem julgados ou criticados.

O intuito é trabalhar a readaptação desse indivíduo perante a sociedade, no trabalho, é também equalizar as expectativas às realidades, ou seja, acompanha-lo no recomeço rumo à possibilidade de uma vida com mais qualidade.

“Todo nosso trabalho é de acordo com a demanda de cada pessoa, considerando sempre sua subjetividade. De um modo geral vamos trabalhando as relações que estes pacientes estabelecem com os alimentos, qual o sentido do comer pra esses indivíduos, as questões relacionadas aos ganhos que terá com a nova vida, o quanto vai compensar às trocas e as mudanças promovidas. É como ajudar o paciente a fazer uma reinserção na vida, ou na nova forma de levar a vida”, ressalta a especialista sobre o modo que é trabalhado a mente de obeso para alguém que está se tornando magro.

Vencer os obstáculos

Entre as principais dificuldades que o paciente tende a enfrentar no período pós-cirúrgico é o seu retorno à vida social, onde as pessoas vão estar o tempo todo comparando seu antes e depois, geralmente acompanhado de comentários negativos. Além de reaprender os hábitos saudáveis, como atividades físicas, as escolhas por alimentos adequados, mastigar devagar para que os alimentos sejam melhores digeridos e a disciplina na ingestão dos complementos vitamínicos.

“A escolha pela cirurgia bariátrica não termina em uma mesa cirúrgica, pelo contrário, o paciente irá sim eliminar muito peso, principalmente nos primeiros meses após a cirurgia, mas para manter essa conquista será necessário adotar uma alimentação balanceada e saudável, bem como muita atividade física”, frisa.

Especialista no assunto

Silmara reforça que é muito importante que os pacientes que buscam fazer a cirurgia bariátrica procurem o psicólogo com formação voltada a essa especialidade, pois esse especialista estará mais preparado para lidar com as questões como os transtornos alimentares, já que conhecem as particularidades a se esperar dos pacientes que são submetidos à cirurgia.

Os psicólogos dessa área estão sempre em contato com os profissionais da área da cirurgia, com os próprios cirurgiões, nutricionistas, além de estarem melhores capacitados para fazerem as orientações necessárias.

 

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »