Dia Nacional de Combate ao Colesterol, doença atinge 12% da população adulta

Dia Nacional de Combate ao Colesterol, doença atinge 12% da população adulta

Publicado em 08/08/2019 por Revista algomais às 17:37

O dia 8 de agosto, é comemorado o Dia Nacional de Combate ao Colesterol, foi estabelecido pela a Sociedade Brasileira de Cardiologia como forma de conscientização e prevenção de doenças cardiovasculares. Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde, realizada pelo Ministério da Saúde com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), atualmente, um em cada quatro brasileiros acima de 60 anos está com o colesterol alto. Na população adulta, as estatísticas também são expressivas: mais de 18 milhões de pessoas apresentam nível acima do recomendado,  número que representa 12,5% da população acima dos 18 anos.

A prevalência de níveis elevados de colesterol é maior em mulheres, atingindo 15% da população feminina ante 9% dos homens. A pesquisa ainda aponta que 15% dos adultos nunca realizaram a medição das taxas de colesterol. Para o cardiologista e membro da SBC-PE o doutor Vanildo Guimarães explica que as pessoas com níveis elevados de colesterol têm um risco maior de apresentar infarto do miocárdio (ataque cardíaco), acidente vascular cerebral (derrame) e aterosclerose (obstrução arterial) em outro territórios como, por exemplo, nas artérias dos membros inferiores que podem causar amputações. Vale ressaltar que o colesterol tem funções importantes no organismo.

Ele é transportado no sangue em partículas denominadas lipoproteínas. As com baixa densidade (chamadas de LDL) são responsáveis pelo transporte do colesterol para os vasos onde são depositados. As lipoproteínas de alta densidade (chamadas de HDL) fazem o transporte reverso retirando o excesso de olesterol da circulação levando de volta para o fígado. Se existir excesso de LDL na circulação aumenta o risco de aterosclerose (entupimento das artérias pela gordura), por isso o LDL é popularmente conhecido como “mau” colesterol, devendo ser reduzido quando em nível elevado. O HDL colesterol elevado revela eficiência da remoção do excesso de colesterol, sendo conhecido como “bom” colesterol.

Após o diagnóstico do colesterol elevado, o médico reforça a importância da mudança no estilo de vida como um dos principais pontos do tratamento. Isso inclui ingestão reduzida de gorduras, açúcares e carboidratos, maior consumo de frutas, leguminosas e hortaliças e a prática regular de atividade física. “O tratamento é baseado em 3 pilares fundamentais, dieta, atividade física e medicamentos redutores de colesterol. Sendo a dieta e atividade física para todos, e medicamentos para os que não conseguem atingir a meta, informa o cardiologista Vanildo Guimarães.

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »