Mitos e verdades da homeopatia

Mitos e verdades da homeopatia

Publicado em 08/01/2020 por Revista algomais às 17:23
Especialidade foca no tratamento do paciente como um todo e não apenas na enfermidade

A Homeopatia é a prática médica que visa o cuidado do paciente e não da doença. A especialidade, diferente da medicina tradicional (alopatia), busca a raiz do problema da pessoa doente e avalia todo seu organismo, fisicamente e emocionalmente. Desde 2006, a prática é reconhecida pelo Ministério da Saúde como uma das especialidades médicas ofertadas pelo Sistema Único de Saúde.

A técnica traz, comprovadamente, resultados positivos no tratamento de todas as doenças, principalmente as crônicas, como asma e bronquite. “Mesmo sendo o segundo sistema médico mais usado no mundo, ainda há muitas dúvidas sobre a prática”, explica a médica homeopata Patrícia Guarino, da Clínica Morphos. Patrícia ajuda a esclarecer as principais dúvidas sobre a Homeopatia.

Como funciona?

A medicina tradicional combate uma doença com remédios que provocam o oposto dos sintomas. Por exemplo, uma inflamação é tratada com anti-inflamatórios. Na homeopatia são usadas substâncias que causam o mesmo efeito da doença. Dessa forma, o sistema imunológico é estimulado a reconhecer a doença como um inimigo. “É como se a homeopatia fornecesse ao paciente uma doença artificial para tratar uma doença real”, explica.

Homeopatia apresenta efeitos colaterais?

“Não. A doença, durante o tratamento, reage ao processo terapêutico da Homeopatia e isso pode ser confundido com agravamento, mas na verdade é o organismo sendo limpo.”

Há contra-indicações?

“Não. Crianças e adultos podem se tratar com Homeopatia.”

O processo por homeopatia é lento?

“Não. Isso é um mito. Ela traz resultados rápidos em doenças agudas e mais lentos em doenças crônicas, pela própria cronicidade da doença, o que seria lento da mesma forma com o tratamento convencional”.

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »