A superação advinda da prática de esportes

A superação advinda da prática de esportes

Publicado em 12/01/2018 por Revista algomais às 9:26
Divulgação

O esporte é um dos fenômenos mais expressivos da atualidade. De um jeito ou de outro ele faz parte da vida da maioria das pessoas em todo o mundo. É um dos poucos elementos capazes de promover a união e ascensão social. Uma das qualidades do esporte pode ser representada no termo “superação”. Seja no cotidiano, com a melhoria do convívio social, da prática esportiva, do trabalho ou dos recordes pessoais, ele proporciona uma série de benefícios e incentivos para vencer dificuldades físicas ou mentais.

Independente da modalidade, o esporte também pode ser um importante aliado para dar uma repaginada na vida. Esse é o caso de Fernando Fontelles, um analista de sistemas que largou a carreira para estudar Educação Física, passou por três lesões no joelho, se especializou e hoje comanda um box de crossfit no Recife.

Outro exemplo é dona Lizete Rebordinho, 69 anos, que há dois meses começou a praticar crossfit. Apesar de ser um esporte considerado “pesado” para a idade dela, Lizete o escolheu porque desejava mudar o estilo de vida, perder peso, fortalecer os músculos e melhorar sua mobilidade. Hoje, ela é uma motivação para os mais jovens.

Danilo Canário, de 27 anos, também viu no esporte uma saída para melhorar a saúde. Ele, que pesava 154 kg e tem problemas de hipertensão e taxas de colesterol e triglicerídeos alteradas, iniciou no crossfit há dois meses e já percebeu as primeiras mudanças no corpo. Perdeu 10 kg de lá para cá, a pressão arterial está um pouco mais baixa, sente mais disposição no dia a dia, e hoje é um dos alunos mais dedicados. “Sempre tentei praticar esportes antes, mas nunca segui com muita regularidade. Acho que o apoio dos professores e a união dos alunos têm ajudado”, diz.

A prática do esporte também foi essencial na vida de Célia Dantas, de 35 anos, que foi diagnosticada com câncer de mama há três anos. Ela fez cirurgia de mastectomia e tratamento quimioterápico. Depois de curada, ela começou a se dedicar a corrida como uma maneira de recuperar o bem estar e a forma física, e até já participou de uma meia maratona.

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »