7 imagens para voltar ao tempo dos bondes nas ruas do Recife
Rafael Dantas

7 imagens para voltar ao tempo dos bondes nas ruas do Recife

Publicado em 19/10/2017 por Revista algomais às 12:15

Os bondes faziam parte da rotina do Recife até poucas décadas atrás. Quem só conhece a cidade que se move pelos automóveis, motos, ônibus e pelo metrô (e mais recentemente viu o crescimento das bikes) não imagina o tamanho do sistema de bondes na capital pernambucana.

De acordo com informações da Fundação Joaquim Nabuco, o bondes de tração animal surgiram no Recife em 1871, como uma concorrente das maxambombas, que era uma espécie de trem urbano da época. “A empresa de bondes de burros, Pernambuco Street Railway Company. Eram veículos de tração animal que se deslocavam sobre trilhos. Suas atividades foram iniciadas no bairro do Recife, do Brum até a Madalena”, descreve Virgínia Barbosa no artigo da Fundaj “Transporte Urbano do Recife“. Em 1912 esse serviço possuía 81 km de linhas e 27 locomotivas.

O serviço de bondes elétricos foi inaugurado em 1914, pelas mãos da companhia inglesa Tramways, de acordo com a bibliotecária da Fundaj Maria do Carmo Andrade. “O desaparecimento desses coletivos, que tantos e tão bons serviços prestaram aos recifenses, foi um processo lento e moroso. Enquanto foi possível manter o serviço, mesmo em condições precárias, o povo usou o bonde até sua extinção total nos anos de 1956 a 1957”.

 

Confira abaixo uma seleção de imagens do Acervo da Villa Digital da Fundaj que selecionamos sobre os Bondes do Recife.

Rua Nova, em 1910. Observe que o bonde era puxado por cavalos

Praça Maciel Pinheiro. O bonde ainda com tração animal

Rua do Imperador. Registro de 1915, já com o bonde elétrico

Ponte Maurício de Nassau

 

Passando ao lado do Teatro Santa Isabel

Ponte Santa Isabel. Perceba que o destino deste bonde era para o bairro de Beberibe, periferia da Zona Norte

Ponte da Boa Vista

*Por Rafael Dantas, repórter da Revista Algomais


LEIA TAMBÉM

6 registros da rua da Aurora de antigamente

5 ruas que sumiram do Centro do Recife

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »