Batman: a jornada de 80 anos do cavaleiro de Gotham
Breno Carvalho

Batman: a jornada de 80 anos do cavaleiro de Gotham

Publicado em 26/09/2019 por Breno Carvalho às 13:32

Quem diria que um personagem dos quadrinhos que não é um Deus, um alienígena, sem poderes sobrenaturais ou radioativos estaria completando 80 anos de existência, de sucesso e tão presente em nossa cultura nerd, pop e geek? Só mesmo o Cavaleiro das Trevas para conseguir esta façanha.
.

Capa da Detective Comic número 27 de 1939, com a primeira aparição do herói

Mesmo não havendo uma explicação sobre a data do Dia do Batman, neste ano a DC instituiu 21 de setembro de 2019 para celebrar o aniversário do herói. Só neste mês já tivemos uma série de atividades em todo o mundo, com direito a exposições, corrida na rua, lançamento de produtos e até a projeção do Bat-Sinal na Av. Paulista em São Paulo! Bem que podia ter acontecido no Recife também, não era meu vei!!

O Batman que conhecemos apareceu pela primeira vez na edição de número 27 da HQ “Detective Comics”, em maio de 1939, após o sucesso do Pipoco de Zion da HQ de Superman. Na época o editor Vin Sullivan, da DC Comics, estava em busca de um novo herói que pudesse ter o mesmo nível de empatia com o público e, lógico, vender mais.

Equipamento de voo ornitóptero, criação de Leonardo da Vinci

O personagem que já teve um hífen em seu nome, é inspirado no universo vampiresco, o filme “The Bat”, de 1926, no equipamento voador de Leonardo da Vinci chamado de Ali Volanti ou Ornitóptero, no herói da década de 1920, o Zorro, e na personalidade de Sherlock Holmes, de Sir Arthur Conan Doyle, e do famoso mosqueteiro D’Artagnan. Tudo isso era reflexo dos gostos de seu criador, o ilustrador americano Bob Kane, que também teve ajuda do roteirista e cocriador  Bill Finger. Só poderia dar em um herói extrapower!

Cena da edição #27 da “Detective Comics”

Mas há controvérsias sobre o surgimento do Batman, pois em 1932, um estudante de arte em Boston Frank D. Foster II tinha entrado no ramo de quadrinhos e criou um personagem mascarado, que combatia o crime, não tinha superpoderes e se chamava Batman, pense!! Foster chegou a mostrar seu personagem na DC Comics, mas os editores disseram que não gostaram e não poderiam usar. Tempo depois Foster II viu seu personagem nas bancas, mas sem recursos financeiros para contratar um advogado, nem provas de sua autoria para entrar com um processo na justiça, nada foi feito, e até hoje ele não é reconhecido. 

Versão do Batman de Frank Foster II em 1932

Sua família criou o site OriginalBatman.com, que apresenta essa história e algumas imagens, inclusive um detalhe mais sinistro: anotações em um dos desenhos em que Foster II tinha em mente outros nomes para o cavaleiro das trevas: “Night-Wing” ou “Nightwing”, o Asa Noturna, versão adulta do personagem Dick Grayson, o Robin original. Santo apocalipse!!!

Mas voltando ao nosso herói extrapower, Batman fez grande estrondo nos quadrinhos, na época usava armas de fogo e não tinha o Batmóvel. Só em 1940, ele surgirá com o seu companheiro Robin, na edição de número 38 da Detective Comics. Não demorou muito para alçar novas mídias, sendo elas a TV, o cinema e os games. 

O morcegão apareceu na TV, ainda em preto e branco nos anos de 1943 em “The Batman” estrelado por Lewis Wilson, e depois  apareceu em 1949, na série “Batman & Robin”, com os atores Robert Lowery e Johnny Duncan. Na década de 1960 temos a icônica série cômica de  que trazia Adam West no papel de Batman, junto com Burt Ward, como Robin. Após as tragédia dos filmes no cinema na década de 1990 (já já lembro você), guardião de Gotham City  ressurgiu na série de 2002, Birds of Prey, com o ator Bruce Thomas. 

Ainda na TV, o herói apareceu também em forma de desenho animado. Durante os anos 1980 e 1990, tivemos Batman e Robin na série “Super Amigos”, você lembra?? Era muito bom as aventuras da dupla dinâmica e os membros da Liga da Justiça combatendo Lex Lutor e a Legião do Mal. Em 1995, foi apresentado “Batman: The Animated Series”, que teve 85 episódios. A abertura desta série é muito show. E lógico, os embates do herói com seu arqui-inimigo Coringa. Em sequência, quase uma continuação, teve “Batman: Gotham Knights”, que mudava um pouco o traço artístico e com temática mais infantil. Uma versão extrapower, foi “Batman Beyond” (2001), focada no futuro e o morcegam estava com outro uniforme e encarnado pelo jovem Terry McGinnis, sob as orientações do seu mentor, o velho Bruce Wayne. Pense numa série da Gota!! 

O Cavaleiro das Trevas de Frank Miller
Versão como Vampiro em The Batman of Earth-43

Outras animações irão continuar a saga do cavaleiro das trevas, totalizando mais de dez animações, apresentando as mais diversão versões do Batman. Aliás, essa característica do herói é

fascinante, pois ele já apareceu com uniforme clássico com a capa azul, todo preto e dark, e foi mais além com versões que vão de ninja, vampiro, cavaleiro medieval, no velho oeste, e como um morcego (literalmente). É um herói mutante, ou melhor, versátil!!!

Diversas armaduras do cavaleiro das trevas

Ao todo, Batman apareceu 11 vezes no cinema, incluindo a atuação de Michael Keaton, em “Batman” (1989 e 1992), os dantescos “Batman Forever” (1995) e “Batman & Robin” (1997), pense numa bagaceira, na trilogia extrapower de Batman de Nolan (2005,2008 e 2012), além de “Batman x Superman” (2016) e a “Liga da Justiça” (2017). Tem que lembrar que ele aparece também no filme do “Esquadrão Suicida” (2016) e tem sua versão da Lego (2017). 

Diversos trajes de Batman
Batman do Futuro da WB

Falando dos Games, o herói aparecia nesta mídia como reflexo de sua estreia nas telonas. O primeiro game foi “Batman: The Movie” (1989), da Sunsoft, baseado no filme de Tim Burton de 1989. Esta versão de ação-aventura 2D possuia cinco fases. Na sequência, tivemos  jogo de plataforma side-scrolling, “Batman: Return Of The Joker” (1991), da mesma empresa, mas com a possibilidade pilotar o Batmóvel e o Batwing (nave). Em 1993, foi lançado Batman Returns, mas apenas a versão para o Super Nintendo fez “sucesso” segundo a crítica e os jogadores. Lógico que se o filme é ruim, o game (na época) poderia ficar pior, é o caso de “Batman Forever” (1995), um Beat’em up, criado pela Acclaim Studio, e que possuía um “tom” de “Mortal Kombat”.

Game foi Batman: The Movie (1989), da Sunsoft

Em 2001, baseado na série animada “The Batman”, tivemos “Batman: Vengeance”, com gráficos mais elaborados em 3D e estilo cartoon, desenvolvido pela Ubisoft. Muito boa essa versão do Cavaleiro. Em 2008, foi lançado Lego Batman: The Video Game, produzido pela TT Games, o jogo tem um enredo original, quebra-cabeças e desafios a altura da dupla dinâmica, muito sensacional para jogar com seu filho. 

Mas o herói chegou em seu ápice nos games com a coleção “Batman: Arkham Asylum” (2009), “Arkham City” (2011) e “Arkham Knight” (2015), produzida pela Rocksteady Studios. Estes jogos em 3D com gráficos de tirar o fôlego, apresentou uma trama muito interessante, com uma jogabilidade de luta extrapower, que influenciou diversos outros títulos. 

Batman Returns era baseado no filme de mesmo nome (Foto: Reprodução/Old Gaming Fever)

O sucesso foi tão grande que a Warner Bros. Games Montreal, lançou “Batman: Arkham Origins” em 2013. Não tinha uma história tão envolvente, mas possuía vários elementos da série “Arkham”. E que por sinal, teremos mais um novo game já anunciado pelos produtores e será baseado na saga “Corte das Corujas”.

Ao todo, Batman apareceu em mais de 12 jogos em suas versões 2D, 3D e para Realidade Virtual. Mas um grande herói precisa ter vilões a sua altura, e o cavaleiro das trevas tem um monte, Charada, Duas-Caras, Mulher Gato, Hera Venenosa, Pinguim, e tantos outros. Mas o emblemático vilão, personagem de quadrinhos que já tem um Oscar e pode ganhar outro ano que vem, é o Coringa. E quem diria, que este ‘palhaço’ não era o um dos vilões favoritos pelos criadores em 1940, quando surgiu pela primeira vez. 

Arte de Maria Eduarda, minha princesa, para o Batman Day

Mas sobre este criminoso inteligente e excêntrico falaremos depois, inclusive com nossa percepção deste filme de Todd Phillips programado para a coluna de  10 de outubro. Para celebrar o aniversário de nosso herói, recomendo o DVD “Batman – O Cavaleiro De Gotham”, lançado em 2008, com seis diferentes histórias do personagem, e estéticas visuais bem diferenciadas, numa pegada de anime. Também você pode jogar no universos do Homem-morcego no game Fortnite, da Epic Games, está show!!!

Só lembrando que a DC Comic irá relançar amanhã, dia 27, a edição de número 27 da revista “Detective Comics” como parte da celebração dos 80 anos de Batman.

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »