Como a Inteligência Artificial pode ajudar uma empresa?
Bruno Queiroz

Como a Inteligência Artificial pode ajudar uma empresa?

Publicado em 16/05/2019 por Revista algomais às 5:00

Muito se fala sobre a inteligência artificial ser o futuro dos negócios. Mas como a IA funciona na prática e como ela pode ajudar no dia a dia de uma empresa?

Antes de tudo, é preciso entender essa tecnologia. A inteligência artificial é um dispositivo que simula a capacidade humana de perceber, raciocinar, tomar decisões e resolver problemas. Pode estar presente não só em computadores e smartphones, mas também em sinais de trânsito, em máquinas industriais, entre outros dispositivos simples.

Em outras palavras, a inteligência artificial analisa dados que foram inseridos ou apreendidos de acordo com o uso, devendo realizar uma determinada ação sem a intervenção humana. E quanto mais dados os dispositivos com IA recebem e analisam, maior a capacidade de resolver problemas.

Como a IA pode ajudar uma empresa? Um exemplo é a aplicação da IA para fazer o mesmo papel dos atendentes de telemarketing. Bancos e empresas de telefonia já fazem isso em escala crescente, reduzindo custos operacionais com salários e encargos.

Outra linha de atuação é aplicar a inteligência artificial em atividades que seriam muito complexas ou nem possíveis de serem feitas por humanos. Um exemplo é a possibilidade de antever a dificuldade de aprendizado de alunos em uma disciplina ou até mesmo sua reprovação. Não apenas pela análise da nota, mas também pela avaliação de outros dados, tais como a realização de tarefas e o comportamento em sala. Em uma escola com grande quantidade de alunos, a identificação das causas e a correção das consequências desse problema tornam-se mais rápidas, abrangentes e precisas, melhorando o desempenho individual e global dos alunos.

A inteligência artificial pode também substituir humanos e realizar tarefas de alta complexidade ao mesmo tempo. As farmácias têm conseguido aumentar o valor das vendas por cliente sem necessidade de contratar novos vendedores ou ampliar espaço de exposição de produtos em uma loja. Ao pedir o CPF antes do atendimento, o nosso comportamento de compras é cruzado com o de consumidores com perfil semelhante e são oferecidas promoções personalizadas, que vão muito além das já conhecidas, como a indicação de espuma para quem compra barbeador. A inteligência artificial torna-se, na prática, um “vendedor” capaz de conhecer todos os hábitos de todos clientes, tarefa impossível de ser feita por um humano.

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »