Gente & Negócios: Turismo, Inovação e Copa na pauta empresarial
Rafael Dantas

Gente & Negócios: Turismo, Inovação e Copa na pauta empresarial

Publicado em 26/06/2018 por Revista algomais às 17:44

Nossa coluna começa com uma entrevista com o presidente da Adit Brasil, Felipe Cavalcante, que fala sobre o cenário atual do setor de construção e turismo. A associação promoveu semana passada o evento Adit Share, em Porto de Galinhas. Em pleno período de Copa da Rússia, o cenário de turismo pernambucano e nacional ainda discute a sustentabilidade e os horizontes do segmento após os investimentos feitos na Copa do Brasil, em 2014.

Felipe Cavalcante


Felipe Cavalcante, presidente da ADIT, fala sobre o cenário dos equipamentos hoteleiros no País

ALGOMAIS – Após o auge com a Copa do Mundo, seguido pelo recente período de crise econômica, como você avalia o atual momento do setor de construção de equipamentos hoteleiros no Brasil?

FELIPE – O momento atual é primeiro de saturação de hotéis econômicos e urbanos e um crescimento significativo da hotelaria de lazer e de resorts. Parte disso tem funcionado em sistema de multishare e multipropriedade, mas parte pela demanda natural, em razão da volatilidade atual do dólar, que está crescendo, refletindo no aumento da efetividade do turismo nacional. A demografia é muito favorável ao turismo no Brasil, mas as barreiras para entrada nos resorts são muito altas. Por isso, deve haver um equilíbrio entre oferta e demanda na hotelaria urbana.

ALGOMAIS – Existem empreendimentos turístico em construção no Estado? Qual a realidade do setor aqui de Pernambuco ou do Nordeste?

FELIPE – Pernambuco está com turismo muito forte. O Hub do aeroporto aqui ajuda bastante. Acredito que haja uma pausa, fora a região de Porto de Galinhas e Muro Alto, em grandes empreendimentos, depois da crise internacional de dez anos atrás. Mas não tenho dúvida que após o foco do setor hoteleiro ter centralizado na capital, em função do desequilíbrio entre oferta e demanda que havia, com tarifas altíssimas, e equipamentos muitas vezes ultrapassados. Então, toda canalização de investimentos foi feita para isso, que agora gerou um novo tipo de desequilíbrio com super ofertas, mas não tenho a menor dúvida que Pernambuco vai colher os benefícios dos investimentos feitos em resorts nos últimos anos.

ALGOMAIS – O que levou o turismo compartilhado a ser uma tendência no Brasil? Pernambuco tem se destacado neste segmento também?

FELIPE – O turismo compartilhado é uma tendência por que a economia compartilhada já é uma realidade, o amanhã já chegou. Isso acaba se aplicando ao turismo compartilhado, que está chegando ao Brasil agora, mas existe no mundo todo há décadas, é uma indústria gigante! Divide-se basicamente em timeshare, venda de diárias hoteleiras antecipadas, e a multipropriedade, venda de frações imobiliárias. O timeshare basicamente é vendido em empreendimentos prontos, em caráter hoteleiro. Já a multipropriedade é vendida em apartamentos em construção nos empreendimentos condominiais, que podem ter eventualmente uma operação hoteleira. Pernambuco ainda não tem se destacado muito neste segmento, mas é uma questão de tempo. Não tenho dúvida que isso veio para ficar, podemos dizer que são férias “inteligentes”, você paga pelo que efetivamente usa, a propriedade já não é mais a grande ambição, mas a experiência!


 

Faculdade Pernambucana de Saúde lança o centro de inovação especializado em saúde e educação

Carlos Figueira é diretor acadêmico da FPS

FPS e o IMIP anunciaram o lançamento de um Centro de Inovação voltado para incentivar o empreendedorismo no setor da saúde e educação. A conexão entre profissionais, estudantes, pesquisadores e empreendedores das startups está entre as metas do grupo, que pretende com essa iniciativa impactar o desenvolvimento educacional e os tratamentos de saúde. “A FPS e o IMIP sempre foram instituições preocupadas em permanecer atualizadas. Por isso, estudamos sempre formas de manter nossos serviços modernizados. Agora, é a hora de construirmos um legado concreto de benefícios para a sociedade”, explica Carlos Figueira, diretor acadêmico da FPS.

O Centro de Inovação promoverá programas de pré-aceleração e incubação para startups em estágio inicial, e aceleração para startups mais maduras. Além de promover eventos e treinamentos que abrangerão todo o país. As startups incubadas no Centro contarão com serviços de assessoria e mentorias em diversas áreas, escritórios, salas de reuniões e auditório. Também terão acesso ao know-how dos profissionais e pesquisadores do IMIP e da FPS para solucionarem problemas e desafios, desenvolver, prototipar e validar seus produtos, o que possibilitará uma rica troca de experiências com profissionais da saúde, da educação e pacientes.


 

Movido pela crise dos combustíveis, Fusion DMS aumenta faturamento em 87,41%

Emílio Saad Neto, CEO da Fusion

Diante da atual crise que assola o Brasil, a empresa Fusion cresceu 87,41% no comparativo do faturamento relativo a maio do ano passado e alcançou um aumento de vendas de 62,5%, justamente na semana em que a greve dos caminhoneiros eclodiu no País. O software, exclusivo no mercado a realizar a entrega de cargas fracionadas, ainda obteve um crescimento de 13,2% de abril a maio de 2018.

O Fusion DMS (Delivery Management System) reduz o uso de combustíveis, geomonitora os motoristas responsáveis pelas cargas e otimiza a rota em logística de transportes –e torna-se estratégico no atual cenário, que deve permanecer instável durante, pelo menos durante todo o segundo semestre. “A melhor forma de aumentar a margem de lucro de uma empresa não é aumentando preços, mas, sim, reduzindo os seus custos. Nisso, o Fusion DMS ajuda as empresas tanto no aumento de margem quanto na redução dos custos de combustíveis, cuja tendência é de instabilidade de preços até o final do ano, segundo os economistas”, explica Marcelo Gomes, diretor comercial da Fusion.

Por se tratar de uma inovadora alternativa na redução de custos com logística e combustíveis, a procura pelo investimento vem crescendo entre as empresas de todo o País –a tecnologia é única no Brasil a realizar a entrega de cargas fracionadas, com 5 módulos integrados. “A implantação do nosso software permite a roteirização. A tecnologia cria a rota ideal, ou seja, a melhor forma de realizar as entregas. Assim, o gestor do empreendimento consegue ter a redução de custos, de tempo, clientes mais satisfeitos e funcionários dentro do horário de trabalho. Além disso, existe a rastreabilidade da localização do motorista, que garante a segurança dos condutores, cargas e veículos”, detalha Emílio Saad Neto, CEO da empresa.

Após três anos desenvolvendo e testando a solução em empresas reais, a antiga startup, hoje uma S/A, que surgiu em 2014, possui 250 clientes distribuídos em todo o país. A expectativa para este ano é chegar a R$ 6 milhões de faturamento, ultrapassar a barreira dos 300 clientes e alcançar o mercado internacional.

Considerado um dos principais fornecedores para as montadoras e líder no mercado de baterias na América do Sul, o Grupo Moura foi recentemente adicionado à cartela de clientes da Fusion. Após o sucesso da implantação da versão piloto, a empresa iniciará a inserção do software Fusion DMS nas 84 distribuidoras Moura presentes no Brasil, Argentina e Uruguai.


 

Debron cria ação nos jogos da Copa

Thomé Calmon, diretor da Debron

A Debron Bier, cervejaria dirigida por Thomé Calmon, está armando uma arena especial para quem quer curtir os jogos da Copa com muita diversão. Chamada de Arena Debron, o espaço funciona em seis lugares no Recife: Cabanga Iate Clube, Manos Bar e Restaurante, Marcolino, Forneria 1121, Olimpo e Open Time. No local, bandeirolas, brincadeiras e muito chope garantirão a animação da torcida. A ação acontece exclusivamente nos dias dos jogos do Brasil.

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »