19º Festival Recife do Teatro Nacional começa no próximo dia 18 de novembro

19º Festival Recife do Teatro Nacional começa no próximo dia 18 de novembro

Publicado em 14/11/2017 por Revista algomais às 5:22
Fabio Furtado

Comédia, histórias da carochinha, drama e marionetes, além da dramaturgia épica de nomes como Shakespeare e Bertolt Brecht. Vários gêneros e linguagens cênicas ganharão os palcos da cidade entre os próximos dias 18 e 26 de novembro, durante a 19ª edição do Festival Recife do Teatro Nacional. Promovido pela Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Cultura e da Fundação de Cultura Cidade do Recife, o evento oferecerá 17 espetáculos locais e nacionais a preços populares, para diferentes públicos, com grandiosos artistas na programação.

Já na abertura, no dia 18 de novembro, o Teatro de Santa Isabel recebe o espetáculo inédito no Recife Why The Horse?, do Grupo Pândega, de São Paulo, em que a atriz e diretora Maria Alice Vergueiro, um dos grandes pilares do teatro nacional, encena sua morte, exorcizando no palco um dos maiores temores da humanidade.

Outras quatro produções nacionais estão na programação. Também de São Paulo, o ator Fause Haten apresentará o musical Lili Marlene. Do Ceará, virão os grupos Bricoleiros e Pavilhão Magnólia, com os espetáculos Criaturas de Papel e Ogroleto. O baiano Teatro Popular de Ilhéus trará para os palcos recifenses Os Fuzis da Senhora Carrar.

Mas é pernambucana a maioria das atrações. Entre os espetáculos e grupos locais que integram a grade desta 19ª edição estão: Luzia no Caminho das Águas, Engenho de Teatro; Histórias por um Fio, da Cia. Fiandeiros de Teatro; Terror e Miséria no Terceiro Reich – O Delator, da Metraton.produções; Altíssimo, da TREMA! Plataforma de Teatro; Shakesfood, da Ates Cínicas com Objetos; Luzir é Negro!, do Teatro de Fronteira; Um Minuto pra Dizer que te Amo, do Grupo Matraca de Teatro; Histórias Bordadas em mim, de Agrinez Melo; Suplício de Frei Caneca, de José Francisco Filho; Mucurana, O Peixe, do Coletivo Construtores de Histórias; Dinamarca, do Grupo Magiluth; e O Peru do Cão Coxo, do Galpão das Artes de Limoeiro.

Além de ocupar a pauta dos principais teatros geridos pelo poder público municipal, como o Santa Isabel, Apolo, Hermilo Borba Filho, Luiz Mendonça e Barreto Júnior, a programação deste ano chegará também aos dois Compaz, Eduardo Campos e Ariano Suassuna, e à Igreja de Santa Teresa D’Ávila ao lado da Basílica do Carmo.

Os ingressos serão vendidos a preços populares (R$ 10 e R$ 5), em cada um dos teatros onde os espetáculos serão apresentados.

Homenageada – Nesta 19ª edição, o festival homenageará a atriz Conceição Camarotti, artista de teatro também consagrada no cinema, tendo se destacado em filmes de Cláudio Assis (Texas Hotel, Amarelo Manga, Baixio das Bestas e Febre do Rato) e de Matheus Nachtergaele (A Festa da Menina Morta). Conceição já recebeu prêmios de melhor atriz coadjuvante nos festivais de Gramado e Brasília e também foi homenageada no Festival de Triunfo em 2012.

PROGRAMAÇÃO 19º FESTIVAL RECIFE DO TEATRO NACIONAL

ESPETÁCULOS

– Dias 18 e 19 de novembro

Why The Horse? – Do Grupo Pândega (SP), às 20h, no Teatro de Santa Isabel

A atriz Maria Alice Vergueiro dirige e atua no espetáculo em que encena seu velório. A morte é o ponto de partida da peça, apresentada mais de 100 vezes pelo Brasil. Indicado para maiores de 16 anos

– Dia 19

Luzia no Caminho das Águas – Do Grupo Engenho de Teatro (PE), às 10, no Compaz Governador Eduardo Campos

O espetáculo conta a história de uma menina que cultiva uma flor e, ao perceber que ela estava murcha e sem água, toma o caminho das águas para salvá-la. A encenação leva à plateia elementos da linguagem do circo, do teatro de bonecos, da música e, sobretudo da poesia. Classificação Livre

Histórias Por Um Fio – Da Cia. Fiandeiros de Teatro (PE), às 16h, no Teatro Hermilo Borba Filho

A peça traz personagens lendários extraídos de contos da tradição oral ibérica, indígena e africana, numa dramaturgia que une os três povos através da figura de Mavutsinim. Classificação Livre

Terror e Miséria no Terceiro Reich – O Delator – Da Metraton.produções (PE), às 19h, no Teatro Apolo

A partir do texto O Delator, do dramaturgo e poeta alemão Bertolt Brecht, que fala de um casal de classe média em busca do filho que saiu de casa, exatamente quando a Alemanha vive a opressão do ditador Hitler, o espetáculo força a enxergar, mais do que o retrato de uma década mergulhada em equívocos, a decadência de toda uma sociedade sufocada pelo terror. Indicado para maiores de 16 anos

– Dia 21

Altíssimo – Da Trema! Plataforma de Teatro (PE), às 19h, no Teatro Hermilo Borba Filho

Colocando em cena os bastidores da criação, Altíssimo resgata a percepção do espetáculo e do texto como construção intencional. É o primeiro espetáculo da TREMA! Plataforma de Teatro e marca o retorno aos palcos do ator Pedro Vilela. Indicado para maiores de 16 anos

Shakesfood – Da Ates Cínicas com Objetos (PE), às 20h, no Teatro Barreto Júnior

Shakesfood é uma comédia que se passa na cozinha de uma lanchonete, onde o cozinheiro e o seu ajudante garçom fazem do preparo dos pratos verdadeiras tragédias shakespearianas, utilizando os utensílios de cozinha como personagens. Indicado para maiores de 14 anos

– Dia 22

Luzir é Negro! – Do Teatro de Fronteira (PE), às 20h, no Teatro Luiz Mendonça

Solo autobiográfico do ator e cantor Marconi Bispo, dirigido por Rodrigo Dourado, em que o grupo investiga o racismo e suas manifestações na vida de um homem negro, gay, candomblecista e periférico. Indicado para maiores de 14 anos

– Dia 23

Os Fuzis da Senhora Carrar – Do Teatro Popular de Ilhéus (BA), às 19h, no Teatro Hermilo Borba Filho

Da obra de Bertolt Brecht, Os Fuzis da senhora Carrar, espetáculo do grupo Teatro Popular de Ilhéus (TPI), é uma crônica da Guerra Civil Espanhola, conflito ocorrido entre 1936 e 1939. Indicado para maiores de 14 anos

Um Minuto Pra Dizer que Te Amo – Do Grupo Matraca de Teatro (PE), às 20h, no Teatro Barreto Júnior

O espetáculo leva à cena a narrativa de um homem velho, seu filho, uma mulher velha e sua cuidadora, casados, mas separados pela doença de Alzheimer. Amor, amizade, dedicação e companheirismo são alguns dos sentimentos que permeiam a peça. Indicado para maiores de 16 anos

– Dia 24

Histórias Bordadas em Mim – De Agrinez Melo (PE), às 19h, no Teatro Apolo

Uma atriz, um baú, uma borboleta e uma conversa protagonizam o espetáculo, que costura acontecimentos da vida real e cotidiana com a linha forte da alegria, do amor, da dor, morte, vida e saudade. Classificação Livre

Suplício de Frei Caneca – De José Francisco Filho (PE), às 20h, na Igreja de Santa Teresa D´Ávila ao lado da Basílica do Carmo

Oratório dramático de Cláudio Aguiar, com encenação de José Francisco Filho, o espetáculo comemora os 200 anos da Revolução de 1817 e a Confederação do Equador, abordando desde o período de ordenação até a execução de Frei Joaquim do Amor Divino Rabelo Caneca. Indicado para maiores de 14 anos

– Dia 25

Ogroleto – Do Grupo Pavilhão Magnólia (CE), às 16h, no Teatro Barreto Júnior

A peça da autora canadense Suzane Lebeau, até então inédita no Nordeste brasileiro, trata de temas muito presentes na infância contemporânea, como: medos, dúvidas e diferenças. Indicado para crianças a partir de 7anos

Mucurana, o Peixe – Do Coletivo Construtores de Histórias (PE), às 19h, no Teatro Hermilo Borba Filho

Para além da vida do protagonista Mucurana, o espetáculo revela a existência de um sistema político e suas consequências boas e más, que interferem na vida de cada um de nós. Apresenta um retrato da ainda hoje atuante da família oligárquica, cheia de privilégios e soberba, que explora a terra e a força de trabalho e ainda se locupleta das oportunidades do estado. Indicado para maiores de 14 anos

Dinamarca – Do Grupo Magiluth (PE), às 20h, no Teatro Luiz Mendonça

O espetáculo fala sobre coisas simples como um beijo que devora, uma morte, um golpe de sorte. Coisas que acontecem o tempo todo na vida. Indicado para maiores de 16 anos

– Dia 26

O Peru do Cão Coxo – Do Galpão das Artes de Limoeiro (PE), às 10h, no Compaz Ariano Suassuna

Na trama, a preguiça é descortinada em um picadeiro de intrigas no Sertão de Taperoá, quando um poeta e sua esposa são alvo de uma dupla de trapaceiros, Aderaldo Catacão e Clarabela. Indicado para maiores de 13 anos

Criaturas de Papel – Do Grupo Bricoleiros (CE), às 16h, no Teatro Apolo

O espetáculo fala de encontros e partidas e de habitar um espaço enquanto força fundamental do pulso de existir e vínculos constitutivos do percurso de viver. Papéis brancos ganham formas geométricas e são transmutados em figuras cênicas que ganham vida. Indicado para crianças a partir de 10 anos

Lili Marlene, Um Musical – De Fause Haten (SP), às 20h, no Teatro de Santa Isabel

O espetáculo é um musical pop punk. O Lili, como gostava de ser chamado, é o neto de Marlene, uma atriz hollywoodiana dos anos 30. Rejeitado pelo pai na infância, foge de sua casa em Berlim e depois de alguns anos começa a fazer sucesso em Paris, dublando sua avó, sem que ninguém soubesse do seu parentesco. Aos 30 se tornou sacerdote de uma religião quando morava nos Estados Unidos. Anos mais tarde, já afastado da igreja, ele faz um relato de sua saga. Indicado para maiores de 14 anos

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »