Banda Sinfônica do Recife celebra centenário de Jackson do Pandeiro

Banda Sinfônica do Recife celebra centenário de Jackson do Pandeiro

Publicado em 26/06/2019 por Revista algomais às 13:30
Homenagem ao “rei do ritmo”, no Santa Isabel, terá participação do cantor Josildo Sá. (Foto: Andréa Rêgo Barros / PCR)

Ele nasceu no dia 31 de agosto de 1919, em Alagoa Grande (PB). Por conta de sua notável destreza vocal no trato com divisões rítmicas de xotes, cocos, emboladas, baiãos, sambas e outros sons, ganhou o título de “rei do ritmo”. Os 100 anos de Jackson do Pandeiro recebem homenagem da Banda Sinfônica do Recife, nesta quarta (26), às 20h, no Teatro de Santa Isabel, centenária casa de espetáculos mantida pela Prefeitura do Recife.

O medley em celebração ao artista nordestino tem participação especial do cantor Josildo Sá. O espetáculo é gratuito, com distribuição de ingressos iniciada uma hora antes, na bilheteria do teatro.

“Para mim, Jackson do Pandeiro e Luiz Gonzaga são os dois maiores ícones da música nordestina. Como era um grande percussionista, Jackson trouxe para o canto uma habilidade com a divisão rítmica, realmente, muito original. Essa maneira de cantar, de dividir, nenhum cantor fez ou faz como ele”, exalta Nenéu Liberalquino, regente da Banda Sinfônica.

Além da “Homenagem a Jackson do Pandeiro”, o programa preparado pelo maestro Nenéu contempla outros clássicos da música brasileira e internacional. O concerto abre com a intensa e dramática “Galop”, do russo Dmitri Shostakovich, para em seguida enveredar pela beleza da “Ária das Bachianas Brasileiras n. 5”, de Heitor Villa-Lobos.

Criada pelo pianista e compositor paraibano Geraldo Medeiros, a obra “Côco ta-ra-ta-tá” prepara o clima para celebração à memória de José Gomes Filho, o Jackson do Pandeiro. O medley arranjado por Nilson Lopes é composto pelas músicas “O canto da ema”, “Sebastiana”, “Cabeça feita” e na “Base da chinela”.

Com mais de 20 anos de carreira e tarimbado na arte do canto em ritmos quebrados – como o samba de latada – o cantor Josildo Sá sobe ao palco do Santa Isabel e se integra ao conjunto musical nessa homenagem a Jackson.

Para encerrar a noite, a Banda Sinfônica do Recife interpreta “Tarantella”, grande clássico da cultura italiana, e “Pilatus: Mountain Of Dragons”, de Steve Reineke – composição carregada de momentos climáticos, que lembra grandes trilhas sonoras de filmes.

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »