6 fotos da Rua da Imperatriz Antigamente

6 fotos da Rua da Imperatriz Antigamente

Publicado em 08/11/2019 por Revista algomais às 18:35

Uma das mais movimentadas vias comerciais do Recife, a Rua da Imperatriz, vive seus dias de crise, com muitas lojas fechadas. Seu nome completo é Rua da Imperatriz Tereza Cristina. Hoje a coluna Pernambuco Antigamente faz um resgate de algumas imagens bem bucólicas dessa via comercial, exclusiva de pedestres, que começa no pé da Ponte da Boa Vista e termina na Praça Maciel Pinheiro.

De acordo com Lúcia Gaspar, da Fundaj, “curiosamente, a rua da Imperatriz Tereza Cristina mudou de nome três vezes. Em 1895, foi denominada Dr. Rosa e Silva. Passou para Floriano Peixoto. Finalmente, por meio da Lei nº 1.336, de 13 de março de 1923, voltou ao nome tradicional. De maneira espontânea, a população reduziu a sua denominação para Rua da Imperatriz, como é conhecida até hoje”.

“Nos tempos áureos do cinema mudo, houve a inauguração do Cinema Helvética, em março de 1910. A novidade atraiu a população, tornando-se um grande sucesso na cidade. Posteriormente, se transformaria em Teatro e Café Conserto, recebendo várias companhias de comédia e teatro ligeiro que fizeram época. O prédio de nº 67, inaugurado em setembro desse mesmo ano, com fachada em estilo coríntio, sacadas, adornos e relevos preciosos, e sede do Sindicato dos Comerciários, ostentava no seu alto, uma estátua de Hermes-Mercúrio, a divindade clássica do Comércio”, afirmou Lúcia Gaspar no artigo Rua da Imperatriz Tereza Cristina / Recife – PE.
.

Rua da Imperatriz, em 1905
(Acervo Josebias Bandeira)

.
Rua da Imperatriz, em 1915
(Acervo Benício Dias)

.

Sem data
Acervo Benício Dias

.

Rua Imperatriz, em 1880
(Acervo Benício Dias)


.
.
Postal, com data de 1904

(Acerbo Josebias Bandeira)


.
.
Postal datado em 1914

(Acervo Josebias Bandeira)


.
*Por Rafael Dantas, repórter da Algomais (rafael@algomais.com)

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »