Movimentação de carga do Porto do Recife já supera o total de 2018

Movimentação de carga do Porto do Recife já supera o total de 2018

Publicado em 13/11/2019 por Revista algomais às 13:28

Em meio as turbulências da economia nacional e acompanhando o Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, o Porto do Recife tem registrado números positivos ao longo de todo o ano de 2019. Nos primeiros dias de novembro já foram movimentadas 107.097 toneladas de produtos, o que totaliza uma movimentação de 1.230.728 toneladas durante o ano. De janeiro a dezembro de 2018 o Porto do Recife movimentou 1.228.167 toneladas de cargas e a expectativa é que esse valor seja 14% maior em 2019.

“Temos que comemorar e ter a convicção que esse número pode crescer muito quando conseguirmos realizar a dragagem do Porto. É preciso considerar que estamos trabalhando com a capacidade mínima em função da profundidade de nossos berços de atracação”, ressalta Carlos Vilar, presidente do Porto do Recife.

“O Governo de Pernambuco já conseguiu inúmeros avanços, junto ao Ministério de Infraestrutura, para viabilizar a dragagem do Porto do Recife, um serviço extremamente importante, que manterá o porto competitivo. No último encontro com o ministro Tarcísio Freitas, nos foi garantido o direcionamento de R$ 23 milhões para a obra. O Termo de Compromisso já está em fase de minuta”, enfatizou o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Bruno Schwambach,

MOVIMENTAÇÃO – O mês de outubro foi o terceiro maior mês em movimentação até o momento. Exatas 135.306 toneladas de produtos passaram pelo ancoradouro recifense, número 53,5% maior do que no mesmo mês do ano anterior. No acumulado do ano, até outubro, o Porto movimentou 1.123.631 toneladas, o que corresponde a um aumento de 14% em relação ao mesmo período do ano anterior.

“A nossa preocupação maior foi manter a atração das cargas tradicionais e já consolidadas no Porto do Recife, como açúcar, malte, barrilha, fertilizante e trigo e concomitante buscar outras cargas, como o coque de petróleo. A estratégia deu certo e já podemos celebrar. Agora já estamos trabalhando a atração de novas cargas para 2020, como a Ilmenita, minério de ferro extraído de um jazida em Floresta, sertão pernambucano”, enfatiza Carlos Vilar, presidente do Porto do Recife.

O açúcar foi o produto mais movimentado no mês de outubro. Seguido do coque de petróleo, fertilizante e do malte de cevada. Saíram do Porto recifense 42.335 toneladas de açúcar com destino a América do Norte e a África. O produto ajudou a alavancar a exportação que registrou um crescimento de 145%, no ancoradouro. No acumulado do ano já foram movimentadas 64.665 toneladas de açúcar a granel, o que representa um aumento de 17%, e 53.170 toneladas de açúcar ensacado, um crescimento de 130% na movimentação do produto.

O coque de petróleo, combustível fóssil sólido, muito utilizado na siderurgia, foi o segundo produto mais movimentado em outubro. 30.875 (aumento de 6,6%) toneladas do produto saíram em navegação de cabotagem para o sudeste do país. De janeiro a outubro já foram embarcadas 193.837 toneladas de coque, o que representa um crescimento de 43% no acumulado do ano. O total de coque do ano passado foi de 135.725 toneladas.

A importação do malte de cevada, matéria-prima do pólo cervejeiro de Pernambuco, concentrado em Igarassu e Itapissuma, também continua em franca expansão. Em 2018 não foi registrada movimentação do produto no mês de outubro, já no mesmo mês de 2019, 18.113 toneladas foram desembarcadas. No acumulado, 182.198 toneladas de malte já seguiram do ancoradouro recifense para a indústria cervejeira esse ano, um crescimento de 52% em relação ao ano passado e que já ultrapassa o total (148.543) de toda a cevada movimentada em 2018. Só agora em novembro mais 20 mil toneladas foram desembarcadas e a expectativa é que outras 19 mil toneladas cheguem em dezembro.

“Até o final de novembro devemos receber mais 80 mil toneladas de produtos e em dezembro outras 145 mil. Se tudo acontecer como esperado, fecharemos o ano com a movimentação de 1 milhão e 400 mil toneladas, 14% a mais do que no ano passado” ressalta Carlos Vilar.

Essa movimentação garante a manutenção de 1,3 mil empregos diretos ligados à carga e descarga de produtos no ancoradouro recifense, de acordo como Sindicato dos Trabalhadores de Serviços Portuários.

(Do Porto do Recife)

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »