Alunos da rede municipal do Recife disputam Olimpíada Mundial de Robótica

Alunos da rede municipal do Recife disputam Olimpíada Mundial de Robótica

Publicado em 04/10/2019 por Revista algomais às 5:10
A competição internacional acontece na cidade de Győr, na Hungria, entre os dias 8 e 10 de novembro

Estudantes da rede municipal de ensino do Recife conquistaram a vaga na Olimpíada Mundial de Robótica, na categoria Júnior. O torneio acontece na cidade de Győr, na Hungria, entre os dias 8 e 10 de novembro. Os três alunos são das escolas municipais João XXIII e Hugo Gerdau.

Essa é a segunda experiência dos alunos da rede na chamada Word Robot Olympiad (WRO). Em 2014, os estudantes da Prefeitura do Recife participaram como convidados para a competição que aconteceu na Rússia, já por conta do destaque do aprendizado em robótica. Em 2016 e em 2017, os alunos ficaram em oitavo lugar na Robocup – Campeonato Mundial de Robótica, que aconteceu na Alemanha e no Japão, respectivamente.

A equipe que irá para a Hungria é formada pelos estudantes Lorena Brito Lopes (15), Jamesson Kawa da Silva Nascimento (14) e Edson Cristiano Matias dos Santos (13) irá resolver desafios robóticos, exclusivamente com materiais Lego. Eles receberam a notícia na noite da terça-feira (01), durante uma aula do Clube de Robótica do Centro de Educação, Tecnologia e Cidadania (Cetec) da Prefeitura do Recife. Os pais de todos os alunos estavam presentes e ficaram emocionados com a classificação.

“Quando a gente foi desclassificado da OBR, a gente ficou desacreditado. Aí veio a WRO e a gente começou a estudar e a ver vídeos. A gente não sabia como era, nunca tinha ido na WRO. A gente chegou na etapa nacional como a única escola pública e não podia fazer feio. Ser classificado para o Mundial, o primeiro ano competindo, só posso agradecer a quem me apoiou. É muita alegria, estou construindo um futuro para a minha família”, contou o estudante Jamesson, um dos competidores e morador da comunidade do Vietnã, no bairro de San Martin.

A mãe dele, Janaína Maria da Silva, 34 anos, falou sobre a alegria da conquista do filho. “Só de falar meus olhos enchem de lágrimas, é muita alegria dentro dessa casa. Eu converso muito com Jamesson, tudo que eu quero é que ele estude. A obrigação dele aqui em casa é estudar e arrumar o quarto. Ele estuda de domingo a domingo, até tarde da noite, e agora está colhendo o que plantou. Não tenho como retribuir todo mundo que apoiou ele e nem o que a Prefeitura está fazendo pelos jovens. Um menino de colégio público está entre os melhores do mundo”, declarou a mãe que é vendedora e finalizou os estudos pelo ProJovem, programa de correção de fluxo.

Os outros dois competidores também estavam emocionados e com a voz trêmula. “São seis meses de muito treino, a gente esperando conquistar essa vaga e agora vamos para a Hungria. A gente espera aprender outra língua e trazer uma premiação boa para a Prefeitura do Recife. A felicidade está tão grande que a gente não consegue nem falar”, disse o estudante Edson.

“Eu venho treinando há meses. A gente participou da nacional, agora a gente vai pra Hungria e eu espero trazer um título para o Recife”, comentou a competidora Lorena Brito. “Ela é uma aluna e filha muito exemplar. Só tenho que agradecer à escola e ao cetec que apoiou ela. É uma experiência de vida”, complementou a mãe Luciana Brito.

Com o tema “Cidades Inteligentes”, a categoria Junior High vai encarar a missão da “Iluminação Inteligente”, que é projetar um robô que possa substituir lâmpadas antigas por lâmpadas inteligentes. O robô deverá tirar novas luzes inteligentes da área de armazenamento e as levar para diferentes ambientes (área vermelha, azul, amarela e verde) na construção. Além disso, o robô deverá encontrar as lâmpadas antigas e as levar para área de lixo. Dessa forma, o robô pode modernizar o sistema de iluminação da construção e ajudar a economizar energia. Essa prova foi disputada na etapa nacional, em setembro, em São Paulo.

“A nossa equipe foi a única a alcançar o primeiro lugar das escolas públicas na etapa nacional da competição. Isso mostra a preocupação que temos com a qualidade do ensino e o futuro dos nossos alunos. Existe a possibilidade desses jovens virarem professores, técnicos, ou ainda entrarem em alguma empresa e fazer com que outros jovens tenham a oportunidade de competir também no futuro”, pontuou Bernardo D´Almeida, secretário de Educação.

A diretora-executiva de Tecnologia na Educação, Danielle Duca, explicou que os estudantes estão se preparando desde o ano passado. “Os alunos participaram das atividades do Clube de Robótica do Centro de Educação, Tecnologia e Cidadania, treinando de duas a três vezes na semana com o apoio da coordenação de Robótica. Perto das competições, eles se dedicam os cinco dias da semana no contraturno escolar”, ressaltou a diretora.

A coordenadora da equipe de robótica, Suely Bezerra, também destacou a dedicação dos estudantes. “Essa vitória deles é o resultado de momentos de estudos. Eles acreditaram, estudaram e estão recebendo um diploma de conhecimento, a certificação de uma aprendizagem”, declarou Suely.

A Word Robot Olympiad (WRO) é um evento para a ciência, tecnologia e educação, que reúne jovens de todo o mundo para desenvolver a sua criatividade e as habilidades de resolução de problemas através de competições de robótica desafiadoras e educacionais. As escolas precisam formar equipes de três alunos cada onde os alunos precisam criar, projetar e construir robôs que se parecem ou se comportam como um atleta humano. A competição começa a partir de etapas preliminares até o julgamento final, que credencia a equipe vencedora para o mundial na Hungria.

No âmbito nacional, os estudantes da rede municipal de ensino do Recife já conquistaram o primeiro lugar da OBR Nacional (2015, 2016) e, em 2018, o terceiro lugar na mesma competição. Na competição Larc, em 2016, eles ficaram em quarto lugar; em 2017 ficaram em terceiro lugar; e, em 2018, em sexto lugar.

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »