Coletivo #CineRuaPE promove oficina sobre memória e reaberturas de cinemas

Coletivo #CineRuaPE promove oficina sobre memória e reaberturas de cinemas

Publicado em 09/09/2019 por Revista algomais às 13:36
Atividade será ministrada pela professora, pesquisadora e doutora Talitha Ferraz nos dias 19 e 20 de setembro no MEPE; inscrições seguem até o dia 18

O Coletivo #CineRuaPE , foi fundado em novembro de 2015, durante a programação do VIII Janela Internacional de Cinema, o Coletivo #CineRuaPE tem o intuito de reunir esforços, promover atividades e discutir estratégias de continuidade, sustentabilidade e conscientização da importância de preservação dos cinemas de rua remanescentes no Estado, a fim de propor a criação de um circuito independente de salas de cinema de rua.

A última iniciativa do #CineRuaPE é promover nos dias 19 e 20 de setembro a Oficina ‘O que pode a memória da ida ao cinema? Reaberturas de cinemas e mobilizações dos públicos’. A atividade será ministrada pela professora, pesquisadora e doutora Talitha Ferraz e acontecerá no Museu do Estado de Pernambuco. As inscrições podem ser realizadas até o dia 18/09 no Sympla.

A oficina tem o propósito de traçar um panorama acerca dos rearranjos arquitetônicos, tecnológicos, mercadológicos e de programação das salas de exibição cinematográfica e reorientações de seus vínculos com os públicos e os espaços urbanos/rurais, aspectos que atravessam as histórias globais e locais do cinema. Nas últimas duas, três décadas, algo interessante tem se destacado com maior intensidade: temas ligados à “sala de cinema”, amiúde, têm ocupado as discussões de variadas esferas e atores da vida sociocultural de nossas sociedades (imprensa, âmbitos políticos/público-administrativos, organizações da sociedade civil e universos acadêmicos do cinema, estudos de mídia, história, arquitetura e urbanismo, sociologia etc.).

Os debates que se organizam em torno das questões da sala de cinema levam em consideração uma série de fatores ligados às presenças e ausências de cinemas em diferentes contextos urbanos e socioculturais, tendo em vista a importância desses espaços nas construções de laços de sociabilidade, memória, pertencimentos identitários, subjetividades. É neste contexto que é possível localizar alguns notáveis casos de mobilização das audiências em prol de icônicos cinemas (geralmente, “de rua”) hoje já desativados/abandonados ou sob iminente ameaça de desaparição simbólica e/ou material, no Brasil e no exterior.

Durante a oficina serão abordadas ainda questões relacionadas a objetos de pesquisa de Talitha Ferraz e tópicos teóricos e metodológicos de investigações realizadas sob a perspectiva das “Histórias de Cinemas” e da “New Cinema History”: Cinema de rua: um potente equipamento coletivo urbano/rural de lazer; a memória da ida ao cinema e exercícios de nostalgia e reaberturas e ativismos de cinemas: entre resistências e capturas. A oficina conta com o apoio da FUNDARPE, através do Programa Cine de Rua.

 

Sobre Talitha Ferraz

É mestre e doutora em Comunicação e Cultura, com ênfase em mídia e mediações socioculturais, pela Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO-UFRJ) e estágio doutoral na Universidade Nova de Lisboa, tendo todas as formações apoiadas com recursos da Capes. Realizou pós-doutorado no Centre for Cinema and Media Studies da Ghent University (CIMS-UGent), também com auxílio da Capes. É professora da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM Rio), onde atua como líder do Grupo de Pesquisa Modos de Ver – Estudos das salas de cinema, exibição e audiências cinematográficas (ESPM/CNPq), e do Programa de Pós-graduação em Cinema e Audiovisual da Universidade Federal Fluminense (PPGCine-UFF). É ainda pesquisadora associada à Coordenação Interdisciplinar de Estudos Contemporâneos da UFRJ (CIEC-UFRJ) e membro das redes de pesquisa HoMER Network – History of Moviegoing Exhibition and Reception; Cinema City Cultures e International Media and Nostalgia Network (IMNN). Desenvolve pesquisas ligadas aos estudos de cinema, memória e nostalgia, com foco nas experiências das audiências e práticas de exibição cinematográfica.

SERVIÇO:

Oficina O que pode a memória da ida ao cinema? Reaberturas de cinemas e mobilizações dos públicos

19 e 20 de setembro | 13h às 17h

MEPE: Avenida Rui Barbosa, 960 – Graças, Recife

R$ 50

Inscrições pelo Sympla até 18/09

www.sympla.com.br/oficina-o-que-pode-a-memoria-da-ida-ao-cinema__640167

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »