O legado de Paulo Freire

O legado de Paulo Freire

Publicado em 19/09/2018 por Revista algomais às 9:55
Referência mundial em pedagogia, pernambucano completaria 97 anos hoje (19). Pensamento freiriano é vivo na rede municipal de ensino, sobretudo na alfabetização da Educação de Jovens e Adultos (EJA). l Foto: Wikimedia Commons

No dia 19 de setembro, o educador Paulo Freire completaria 97 anos. O pedagogo é pedra fundamental no reconhecimento da educação enquanto agente político de transformação social e seus fundamentos fazem parte de Política Municipal de Ensino do Recife, adotada em 2015, e que promove a existência de uma escola inclusiva, democrática e justa, com respeito à autonomia e dignidade do ser humano.

O legado freiriano é vivenciado, sobretudo na modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA), que contempla pessoas com idade superior a 15 anos e que, por quaisquer motivos – normalmente de ordem social – não puderam gozar de seu direito constitucional à educação no período regular previsto. Nos últimos cinco anos, a rede municipal de ensino acolheu quase trinta mil alunos na modalidade EJA (27,8 mil) e, destes, mais da metade (15.511) eram referentes a estudantes em processo de letramento (alfabetização) e Anos Iniciais (1º ao 5º anos).

É nestas salas de aula, que funcionam à noite, que se encontram exemplos redivivos de que o processo de educação é a pavimentação de um futuro concreto para o exercício da cidadania plena: seja para conseguir postos de trabalho formal, obter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e até tarefas mais simples do cotidiano, como apanhar um ônibus e, assim, garantir o direito de ir e vir.

Para Janaína Cabral, professora da EJA há 12 anos e que atualmente também trabalha na alfabetização de 15 profissionais da limpeza urbana do Recife na sede da Vital Engenharia desde junho, em Dois Irmãos, Paulo Freire é mais do que uma metodologia aplicada em sala de aula. “A educação garante respeito a estes homens e mulheres, nós aproveitamos a experiência de vida, realidade e o universo dos estudantes, o seu mundo de trabalho, para trazer exemplos mais próximos que facilitem seu processo de aprendizagem”, pontua ela.

Agnaldo Dias da Silva, de 48 anos e que trabalha com materiais recicláveis na limpeza urbana do Recife foi um dos que se animou para voltar às aulas na sede da Vital Engenharia, que disponibiliza duas salas de aula para EJA em parceria com a Secretaria de Educação do Recife. “Eu vou recomeçar porque nunca é tarde. Eu tenho o sonho de terminar meus estudos. Quero crescer aqui na empresa, quero dar o meu melhor. Todos na minha casa comemoraram a notícia e só saio daqui com o diploma na mão”, comentou emocionado o gari.

Mestre é fundador da rede municipal de ensino do Recife 

O Recife se orgulha de ter contado com a presença atuante do mestre nas trincheiras da formação de uma embrionária rede municipal de ensino, quando de sua atuação junto ao Movimento de Cultura Popular (MCP). Àquela época, gestão de Miguel Arraes à frente da Prefeitura, o MCP constituiu 201 escolas que atendiam pouco mais de 19 mil alunos durante a década de 1960. São fundamentos freirianos que permeiam a Política de Ensino do Recife, instituída em 2015, a existência de uma escola inclusiva, democrática e justa, com respeito à autonomia e dignidade do ser humano, com valorização a seus saberes, provocando uma educação voltada para a cidadania.

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »