Seca avança no território de Pernambuco

Seca avança no território de Pernambuco

Publicado em 17/01/2020 por Revista algomais às 18:41
Entre novembro e dezembro de 2019, a leve expansão da seca para o litoral norte fez com que todo o território pernambucano registrasse o fenômeno

A última atualização do Monitor de Secas aponta que Pernambuco teve expansão da seca fraca para o litoral norte entre novembro e dezembro de 2019, fazendo com que todo o território do estado esteja com seca. Nas demais áreas, não houve alterações significativas nos níveis de seca. Os impactos permanecem de curto prazo na área mais próxima ao litoral, enquanto nas demais áreas os impactos se mantiveram de curto e longo prazos.

Em termos de anomalias de precipitação, houve chuvas inferiores à média histórica no oeste do Estado. Outras regiões que também tiveram reduções pluviométricas foram o centro-sul do Maranhão e do Piauí, oeste do Espírito Santo, Paraíba, sul do Ceará, além de todo o território de Tocantins, Bahia, Alagoas, Sergipe e Minas Gerais. Por outro lado, chuvas acima da média histórica foram observadas em locais isolados do oeste e norte do Maranhão, centro-norte do Piauí e Ceará. Nas demais áreas, as precipitações observadas ficaram próximas à média histórica.

Em dezembro de 2019, os maiores volumes de chuva foram observados no centro-sul de Minas Gerais, em grande parte de Tocantins e em pontos isolados do Espírito Santo, onde houve acumulados de precipitações entre 100mm e valores acima de 200mm. No Nordeste, os maiores volumes foram registrados no centro-oeste e sul da Bahia, oeste do Piauí e em pontos isolados do Maranhão, onde foram observados acumulados também variando entre 100mm e 200mm. Já entre o Ceará e o centro-norte da Bahia, o predomínio foi de pouca ou nenhuma chuva, com acumulados inferiores a 50mm.

RELATÓRIO SOBRE PERNAMBUCO

Em Pernambuco as condições de precipitação variando de normal a ligeiramente abaixo da média histórica, bem como os combinados de curto e longo prazos, auxiliaram na expansão da seca fraca para o litoral norte pernambucano. Nas demais áreas, não houve alterações significativas nos níveis de seca. Os impactos permanecem de curto prazo na área mais próxima ao litoral, enquanto nas demais áreas mantiveram-se de curto e longo prazos. Em Pernambuco houve um leve aumento da área com seca com o avanço do fenômeno para o norte em comparação a novembro, o que caracterizou secas em todo o território pernambucano.

(Assessoria de Imprensa da Ana)

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »