As delícias portuguesas do Moinho de Tâmega, no Recife

As delícias portuguesas do Moinho de Tâmega, no Recife

Publicado em 07/03/2019 por Revista algomais às 5:02
Localizado no Poço da Panela, Moinho do Tâmega oferece os tradicionais doces de Portugal.

Os amantes dos doces portugueses não precisam mais esperar a Fenearte ou viajar para a terrinha. O motivo é simples e bem saboroso: há pouco menos de oito meses, foi inaugurada a confeitaria Moinho do Tâmega, que está fazendo sucesso pelas bandas da Zona Norte do Recife. Localizado em um belo casarão no coração do Poço da Panela, o aconchegante estabelecimento é um ótimo espaço para quem deseja conhecer um pouco mais sobre a culinária lusitana.

A porta de entrada para o cardápio da doceria não poderia ser diferente. Ou menos portuguesa. Feitos de maneira artesanal, o folhado de doce de ovos (R$ 10,90) é uma das especialidades da casa e a primeira opção daqueles que ali frequentam. Logo em seguida está o pastel de nata (R$ 10), o bolo de nozes à moda do Tâmega (R$ 13,90) e o toucinho do céu (R$ 13). “Sem dúvida, são os que mais saem”, revelou o proprietário Manuel Costa, português que mora no Brasil há 37 anos.

Conhecido ao norte de Portugal como barriga de freira, o papo de anjo (R$ 8,90) também se mostra uma ótima pedida para aqueles que querem conhecer um pouco mais sobre a tradição culinária de Amarante, cidade onde nasceu Manuel. A casa também oferece outros doces já conhecidos do paladar dos pernambucanos. “Servimos brownie, bolo de brigadeiro, bem-casado e maracujá, mas não são tão consumidos quanto as nossas especialidades”, compara Manuel.

Mais conhecido pela produção de doces, o Moinho de Tâmega também oferece opções de salgados e por um preço em conta. “São feitos na hora. Preferimos demorar um pouco mais que o normal e servir um produto novo e de qualidade”, justifica Manuel. Quinze minutos é o tempo aproximado de espera. O queijo do reino é presença garantida em quiches, empadas e coxinhas. No entanto, segundo o proprietário, é uma outra combinação que anda fazendo o maior sucesso: “Temos clientes que passam horas tomando cervejas e vinhos portugueses e comendo sanduíches. O de pernil, por exemplo, acompanha muito bem uma Super Bock (marca de cerveja portuguesa)”. Os salgados, no momento, são servidos apenas de quinta-feira a domingo.

Na empresa familiar, o português Manuel Costa e a mulher Teresa (na foto com a filha Ana Beatriz) oferecem além de doces, salgados e sanduiches, como o de pernil.

.

O ambiente aconchegante é uma estratégia para que o cliente sinta-se à vontade. “A ideia é que a pessoa vivencie um ambiente familiar e que se sinta em casa”, comentou Manuel. A decoração com peças que fazem referência a Portugal é uma forma que o proprietário encontrou de tornar o estabelecimento um pouco mais lusitano. “Apostamos em uma decoração portuguesa, onde deixamos expostas várias louças importadas e de bastante tradição”.

Há 17 anos, o português é casado com Teresa Costa, que também é proprietária. Juntos, eles são os responsáveis por tudo o que é produzido no local. O segredo do sucesso que os quitutes fazem entre a clientela, segundo Manuel, é seguir religiosamente tudo o que está determinado em cada uma das receitas. “Eu faço tudo exatamente como está estabelecido. É seguir o passo a passo corretamente”, revelou.

Passo a passo este ensinado pela tia Emília Barbosa, que há 20 anos tem uma confeitaria em Amarante. “Precisei viajar para Portugal para entender melhor sobre modelo de negócio, processo de produção e as individualidades de cada uma das receitas”. O nome da doceria, por sinal, baseia-se na história dos seus antepassados. “Eu quis ser enfático na homenagem à minha região”, revelou o português.

Tudo teve início no moinho que seu avô José Barbosa construiu, onde havia uma pequena fábrica de farinha de trigo. Manuel explica que homenageou esta história introduzindo a palavra moinho na marca da doceria. Já Tâmega é o nome do rio que corta a cidade de Amarante .

Segundo Manuel, a ideia inicial fugia um pouco da doceria, mas acabou seguindo o conselho dado por sua mãe Liseta e sua esposa Teresa. “Eu queria montar um bar com petiscos portugueses, mas elas me atentaram para a oportunidade”. Mas Manuel não desistiu do antigo sonho. “Estamos nos organizando para abrir um bar no primeiro andar. Vamos trazer para o público muitos petiscos típicos que contemplam o bacalhau e o porco”, planeja, revelando que muitos clientes já demonstram o interesse. Só resta aguardar.

Serviço
Moinho do Tâmega: Av. 17 de Agosto, 1465, loja 6, entrada pela Rua Real do Poço. Tel. 3266-9278.

*Por: Marcelo Bandeira

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »