Depois de vencer o câncer, ex-pacientes começam a trabalhar no GAC-PE

Depois de vencer o câncer, ex-pacientes começam a trabalhar no GAC-PE

Publicado em 13/08/2019 por Revista algomais às 5:30
Brenda Rayana e Karolayne Maria superaram o câncer.

Após longas sessões de quimioterapia e radioterapia para superar o câncer, as jovens Brenda Rayana (20) e Karolayne Maria (19) iniciaram um novo desafio. Nesta sexta (09), elas começaram a trabalhar no mesmo lugar onde foram assistidas: no Grupo de Ajuda à Criança com Câncer (GAC-PE), situado no bairro de Santo Amaro, no Recife. As ex-pacientes são beneficiadas com uma parceria entre a instituição filantrópica e o Centro de Integração Empresa-Escola de Pernambuco (CIEE-PE), e estão incluídas no Programa Aprendiz Legal.

Brenda e Karolayne venceram o câncer na perna e no sistema linfático, respectivamente. No GAC-PE, em parceria com CEONHPE receberam atendimento médico e psicossocial durante cerca de dois anos. Agora, no retorno à instituição, elas vão atuar como auxiliar administrativo durante quatro horas diárias e receberão a remuneração de R$640, passagem para o transporte público e terão a contribuição o INSS assegurada. Antes de começar as atividades, elas passaram por um treinamento no CIEE.

Para a oncologista pediatra e presidente do GAC-PE, Vera Morais, a inserção no mercado de trabalho e um passo importante para as jovens “Esse recomeço serve de exemplo para outras crianças e adolescentes que estão em tratamento oncológico. Mostra que é possível vencer a doença, resgatar sua autoestima e seguir a vida”, destacou a médica.

A jovem aprendiz Brenda Rayana completou 20 anos no dia que começou a trabalhar. Com dois motivos para comemorar, ela não esconde a alegria. “O lugar que sempre me acolheu como paciente, agora me dá oportunidade de trabalho. É o começo da realização dos meus sonhos. No futuro, pretendo estudar medicina e cuidar de outras crianças com câncer”, completa Rayana.

O Grupo de Ajuda à Criança Carente com Câncer (GAC-PE) foi criado há 22 anos e dá assistência a cerca de 70 pacientes ambulatoriais e 24 em internamento. Além das ações com foco na assistência social, o grupo desenvolve projetos específicos de prevenção e humanização do tratamento.

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »