Laboratório flutuante das universidades do Nordeste atraca no Porto do Recife

Laboratório flutuante das universidades do Nordeste atraca no Porto do Recife

Publicado em 18/11/2020 por Revista algomais às 5:00
Navio servirá para realizar estudos na bacia e no entorno do ancoradouro

Da Ascom da UFPE

A embarcação Ciências do Mar IV já está atracada no cais 6 do Porto do Recife e pronta para levar conhecimento pelos mares da capital pernambucana. Nos próximos cinco anos, o ancoradouro será a casa do navio, fruto de um Acordo de Cooperação Técnica firmado entre o Porto do Recife e a Universidade Federal de Pernambuco. O Laboratório de Ensino Flutuante foi construído pelo estaleiro cearense Inace.

A embarcação tem 32m de comprimento, calado de 2,7m, capacidade para oito tripulantes e 18 passageiros (alunos e professores), autonomia segura para dez dias de navegação e está equipada com instrumentos de navegação, segurança e científicos. O Ciências do Mar IV poderá ser utilizado por todas as universidades da Região Nordeste que possuem cursos na área de ciências do mar.

“O Ciências do Mar IV é um navio dedicado a um processo de ensino e aprendizagem da Universidade. Então, basicamente, ele vai congregar as atividades de ensino, não apenas da Universidade Federal de Pernambuco, mas também das outras universidades aqui situadas na região para fazer a integração desse processo. São quatro navios no Brasil. Então, nós estamos dentro dessa iniciativa mais ampla para promover o ensino de qualidade, a relação com o mar e com as ciências que lidam com essa matéria de maneira geral. A Universidade está de parabéns com essa conquista e devemos ampliar, a partir do próximo ano, essas ações de formação dos estudantes e também aquelas que envolvem a pesquisa, porque é um equipamento extremamente importante e muito bem equipado”, destaca o reitor Alfredo Gomes.

ACORDO – O acordo assinado entre as duas instituições visa incentivar o desenvolvimento de conhecimento técnico-científico aplicado às atividades portuárias. Além de viabilizar o uso das instalações de acostagem para a embarcação, o Porto do Recife contará com o auxílio dos estudantes de Oceanografia da universidade pernambucana na elaboração de projetos ambientais e estruturais no terminal.

Durante a vigência do contrato, o ancoradouro será contemplado com palestras, pesquisas, monitoramentos ambientais e análises técnicas. “O primeiro projeto de monitoramento ambiental já está sendo viabilizado entre a UFPE e o ancoradouro, para ser realizado durante as obras da dragagem que está sendo viabilizada”, diz Carlos Vilar, presidente do Porto do Recife. O monitoramento vai estudar os aspectos físicos, químicos e biológicos da bacia portuária para saber se a obra causará algum impacto ambiental na área.

Dentre os muitos termos do acordo, o Laboratório de Ensino Flutuante – Ciências do Mar IV vai fornecer ao Porto dados oceanográficos, meteorológicos e ecossistêmicos da bacia e do entorno do ancoradouro, bem como levantar a fauna aquática da bacia identificando, principalmente, as espécies invasoras.

O principal motivo para a parceria com o Porto do Recife foi a localização do terminal “que facilita o deslocamento da embarcação para futuros trabalhos de execução científica, como também possibilitará a abertura do laboratório flutuante para as escolas e a população, que terão a oportunidade de visitar uma embarcação de pesquisa”, explica o professor Alex Costa e Silva, do Departamento de Oceanografia da UFPE.

INICIATIVA – A embarcação da UFPE faz parte de um projeto de capacitação de pesquisadores em alto-mar, fomentado pelo Ministério da Educação (MEC). A construção de Laboratórios Flutuantes como o “Ciências do Mar IV” foi resultado de um estudo desenvolvido no âmbito da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar (CIRM), incentivadora do PPG-MAR (Formação de Recursos Humanos em Ciências do Mar). Por meio do estudo, constatou-se a importância da experiência embarcada para os estudantes de diversos cursos em Ciências do Mar. Os resultados foram apresentados ao Ministério da Educação, que estimulou a compra dos navios.

Com a liberação dos recursos pelo MEC, em 19 de fevereiro de 2014, foi assinado o contrato de construção de quatro embarcações. Três laboratórios já estão em operação, atendendo às demandas acadêmicas de instituições localizadas no Sul, Sudeste e Norte do país, sendo as gestoras a Universidade Federal do Rio Grande (FURG) e a Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Uma outra embarcação, que atenderá a Região Sudeste, com gestão da Universidade Federal Fluminense (UFF), finalizou o processo de construção e já se encontra atracada no Rio de Janeiro.

“A chegada do Ciências do Mar IV representa um ganho de qualidade muito grande na formação de nossos estudantes, tanto os de graduação como os de pós-graduação. E não só para a UFPE, mas também para todas as universidades do Nordeste no Brasil, pois essa era uma reivindicação antiga por parte de todos os programas de ensino e de pesquisa em Ciências do Mar no Brasil e que agora está sendo concretizada. Em particular, para a UFPE, um dos centros mais antigos do país em Oceanografia. Isso, com certeza, trará resultados que vão refletir também no desenvolvimento das pesquisas da qualidade de nossa graduação e pós-graduação”, ressalta Moacyr Araújo, vice-reitor da UFPE.

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »