Morte de Miguel comove o País

Morte de Miguel comove o País

Publicado em 05/06/2020 por Revista algomais às 11:04

Um abaixo assinado digital pedindo justiça pela morte de Miguel, 5 anos, que caiu do 9º andar do Condomínio Píer Maurício de Nassau, no bairro de São José, no Recife, já mobilizou mais de 1,5 milhão de pessoas. A hastag #justicaparamiguel cresceu rapidamente no Twitter e o assunto ganhou apoio de autoridades públicas e de celebridades.

Miguel Otávio Santana da Silva era filho da empregada doméstica Mirtes Renata Santana de Souza. Enquanto ela estava passeando com o cachorro dos seus patrões, o garoto ficou no apartamento sob os cuidados da patroa, que permitiu que a criança seguisse sozinha no elevador do prédio. Ela foi presa, mas pagou fiança de R$ 20 mil e recebeu a liberdade provisória.

O governador Paulo Câmara escreveu no seu perfil do Twitter duas mensagens em referência à morte de Miguel:

“A morte do pequeno Miguel Otávio, trágica perda para a família, consterna a todos nós. Estamos tristes e comovidos, neste momento de luta pelo respeito à vida.”

“Manifestamos aos familiares nossa solidariedade e profundo pesar. Mais do que isso, colocamos à disposição a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, que contactou a família e vai acompanhar o caso. Investigação e esclarecimento devem acontecer no prazo mais breve possível.”

O prefeito Geraldo Júlio também se manifestou nas redes sociais:

“Toda a minha solidariedade à mãe e à família de Miguel, recifenses moradores do Barro, pela dor de uma perda irreparável.”

Movimentos sociais anunciaram um protesto ainda para hoje (05), com concentração no TJPE. Assinaram o manifesto de pesar as seguintes organizações: Federação Nacional das Trabalhadoras Domésticas, Quilombo do Arruda, Fórum de trabalhadores de Saúde Mental do estado de PE, Marcha Mundial das Mulheres, Fórum de Mulheres Negras do PT, Secretária de Mulheres do PT-PE, Seremos Resistência, Cantadas Progressistas, Coletivo Pão e Tinta, Coletivo boca no Trombone, Roda Cultural do Bronx, Coletivo Fazedores de Cultura Periferia-PE, Comissão de Direitos Humanos da OAB-PE, ACELADORA Social palaffit, Mulheres do Audiovisual de Pernambuco, Coletivo Luta Saúde, Coletivo Teia Feminista, Coletivo ressignificando vidas, Comfra (Coletivo mães feministas Ranusia Alve), Coletivo Fotocante e Juventude do PT-PE. “Miguel morreu no dia em que a PEC das Domésticas completou cinco anos e esse aniversário da legislação de proteção das domésticas diz muito sobre nosso país que não superou sua herança escravagista e racista”, afirmaram em nota conjunta.

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »