Bombas e rojões podem causar surdez; confira dicas de otorrino

Bombas e rojões podem causar surdez; confira dicas de otorrino

Publicado em 19/06/2019 por Revista algomais às 5:00
Lesões no nervo auditivo podem deixar sequelas

A época de São João e São Pedro tem tudo a ver com comidas de milho, casas decoradas e brincadeiras. No meio de tanta animação, os cuidados com a saúde não podem ficar de lado, em especial com a audição. A constante exposição a barulhos muito altos podem causar traumas nos ouvidos que podem ser irreversíveis, caso não sejam bem tratados.

A médica otorrinolaringologista do HOPE Raquel Rodrigues esclarece os danos causados ao sistema auditivo por causa de artefatos explosivos. “O som alto das bombas e dos fogos podem causar lesão nas células ciliadas do ouvido, prejudicando a audição. Fragmentos podem causar queimaduras na pele do conduto auditivo e do pavilhão auricular. Também pode ocorrer um barotrauma, causando ruptura da membrana timpânica”, explica.

Ainda de acordo com a otorrino, lesões no nervo auditivo podem deixar sequelas, mesmo com o tratamento, bem como há casos em que se faz necessária intervenção cirúrgica para reconstruir a membrana do tímpano. Entre os principais sintomas de um suposto trauma no sistema auditivo, destacam-se o surgimento de um “zumbido” na audição ou som abafado, que se persistirem, o paciente deve procurar imediatamente uma emergência otorrinolaringológica para que seja feita a avaliação do caso e a prescrição do tratamento de acordo com a gravidade da lesão.

O mais aconselhável é manter distância dessas explosões e estender cuidados de maneira redobrada às crianças. Segundo a médica, os mais novos têm uma necessidade de mais imediatez para receber o atendimento clínico para uma avaliação, pois elas não conseguem detalhar bem o que sentem. A médica ainda destaca a importância de nunca colocar nenhum tipo de medicamento nos ouvidos antes ser avaliado por um otorrinolaringologista.

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »