Parque de Dois Irmãos inova na aplicação de remédios para primatas

Parque de Dois Irmãos inova na aplicação de remédios para primatas

Publicado em 08/08/2019 por Revista algomais às 16:22
Última dose das jujubas terapêuticas será ofertada aos macacos nesta sexta-feira (09/08). O objetivo é que a medicação ainda beneficie outros animais do equipamento

Para garantir o bem-estar dos animais que estão sob seus cuidados, o Governo de Pernambuco decidiu inovar na maneira de fornecer medicações a primatas do Parque Estadual de Dois Irmãos. Agora, a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade utiliza remédios de verme em forma de jujubas, criadas por meio de parceria com uma farmácia de manipulação local. A novidade vai melhorar a absolvição dos remédios e proteger os macacos-pregos (Sapajus libidinosus) e os macacos-prego-galegos (Sapajus flavius) de verminoses e outros parasitas. Eles também tomam nesse período suplementos de Vitamina C em forma de pastilhas, que ajuda a aumentar a imunidade nesse período mais chuvoso.

O veterinário do Parque de Dois Irmãos Márcio Silva explica que os primatas são animais com senso de paladar, inteligência e grande capacidade de manipulação. Por isso, quando notam a presença de remédio na alimentação, muitas vezes retiram a parte com a medicação ou até mesmo lavam os alimentos removendo o produto. Isso gerava desperdício e pouca efetividade no controle. “Ao oferecermos pastilhas de vitamina C, percebemos que eles se adaptaram bem ao produto. Então, sugerimos à equipe da farmácia Roval Pet a criação de outro produto que pudesse conter o remédio de verme e parasitas de forma semelhante às pastilhas e também fosse bem aceito pelos macacos”, contou.

A Roval Pet, que já trabalhava há cinco anos desenvolvendo produtos e remédios para animais domésticos e silvestres, levou 15 dias para chegar ao formato das jujubas especiais. Com experiência na criação de produtos terapêuticos, a médica veterinária Charissa Albuquerque e a farmacêutica Renata Calado foram as responsáveis por formular o novo remédio. “A manipulação é uma das melhores forma de tratamento, pois facilita a administração de medicamentos com produtos personalizados. Vamos continuar aprimorando os produtos para melhor adaptação dos animais”, pontuou Charissa, acrescentado que a fórmula aprovada das jujubas tem sabor de laranja.

Segundo o veterinário do Parque, os primatas não apresentavam sinais clínicos de doença. Contudo, os macacos-pregos-galegos estão na lista de ameaçados de extinção e, por isso, é fundamental se ter cuidados redobrados no controle de parasitas. “Por segurança, programamos três doses, cada uma aplicada com intervalos de quinze dias. Nesta sexta (09/08), eles receberão a última dosagem. Para mim, foi muito gratificante ter participado desse projeto e saber que agora os animais – de uma das espécies mais difíceis de administrar remédio por conta de sua capacidade cognitiva e senso de paladar – vão tomar a medicação de uma forma prazerosa”, frisou Márcio Silva.

A Secretaria Estadual de Meio Ambiente, responsável pela administração do Parque de Dois Irmãos, diz que o corpo técnico está avaliando o uso das jujubas terapêuticas com outros animais, a exemplo dos quatis e dos guaxinins. Ao todo, o zoológico possui cerca de 450 animais, entre mamíferos, aves e répteis.

Serviço:

O que: Parque de Dois Irmãos usa jujubas terapêuticas para tratar macacos-prego e galegos

Quando: Nesta sexta-feira (09/08), às 9 horas.

Onde: Parque Dois Irmãos, Praça Farias Neves, s/n, Dois Irmãos, Recife – PE.

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »