Prefeitura instala Brigada Contra o Mosquito Aedes aegypti em escola municipal do Ipsep

Prefeitura instala Brigada Contra o Mosquito Aedes aegypti em escola municipal do Ipsep

Publicado em 09/06/2019 por Revista algomais às 15:36
Cortesia/Sesau

A Prefeitura do Recife iniciou, nesta quinta-feira (6), a instalação de novas Brigadas Contra o Mosquito Aedes aegypti. A ação, que ocorre durante a programação da Semana do Meio Ambiente, começou pela Escola Municipal Luiz Vaz de Camões, no Ipsep, e continua, nesta sexta-feira (7), com a inclusão do Mercado Público da Madalena, às 8h30. As brigadas são grupos formados em instituições públicas e privadas, que são capacitados pela Secretaria de Saúde do Recife para atuar na prevenção e controle do mosquito transmissor das arboviroses – dengue, chikungunya e zika.

A Luiz Vaz de Camões é a primeira escola pública a ter uma brigada e formou uma equipe com cerca de 20 estudantes para serem agentes multiplicadores de informações sobre como evitar a proliferação do Aedes aegypti na comunidade em que vivem. O gerente de Vigilância Ambiental do Recife, Jurandir Almeida, explicou que essa é uma estratégia que se soma à atuação da Prefeitura do Recife nas visitas às residências. “Os estudantes passam boa parte do dia na escola e podem se expor aos riscos de um ambiente com criadouros, por isso é importante que também haja esse cuidado aqui. Eles serão orientados sobre quais ações precisam ser desenvolvidas para nos ajudar no combate ao mosquito tanto no entorno da escola quanto em suas casas”, comentou.

Os brigadistas vão inspecionar o ambiente, utilizando um questionário próprio, para detectar e remover criadouros ou depósitos que possam ser favoráveis à reprodução dos mosquitos. Eles receberão um check list para não esquecer quais tarefas precisam ser feitas para garantir os cuidados necessários durante as vistorias sistemáticas. O monitoramento no local costuma ser feito mensalmente, mas, sempre que for necessário, os brigadistas podem solicitar a visita dos Agentes de Controle Ambiental e Controle de Endemias (Asaces) antes dos 30 dias.

Na Escola Luiz Vaz de Camões, ainda serão instaladas quatro ovitrampas, que são armadilhas controladas pela Vigilância Ambiental e que reproduzem as condições ideais para as fêmeas dos mosquitos depositarem os seus ovos. Por meio dessas armadilhas, é possível mensurar o índice de infestação do inseto no local. As ovitrampas serão periodicamente recolhidas pela Secretaria de Saúde do Recife para contagem dos ovos existentes e avaliação do impacto das ações desenvolvidas.

A estudante do 6º ano Julia Vitória Adelino, 11 anos, será uma das brigadistas da Escola e contou que sempre esteve engajada para combater o mosquito. “Antes mesmo de começar a brigada na escola, eu e outros colegas já mexíamos em uns pneus que tinham por aqui para não deixar acumular água. Agora, temos esse compromisso maior de não deixar se formar nenhum foco. Me sinto muito importante de ajudar com isso e poder levar informação para outras pessoas”, disse a adolescente, orgulhosa.

Para a professora de Ciências Viviane Barbosa, essa ação de conscientização dos estudantes vai ajudar a trabalhar, de forma prática, o tema das arboviroses. “Com a instalação das armadilhas, os alunos ainda poderão investigar o desenvolvimento dos mosquitos, avaliar a época do ano em que mais aparecem e perceber quais as melhores condições para reprodução. Esses conhecimentos podem ser aplicados para fazer uma campanha ainda mais eficaz”, detalhou.

Como prevê, o Plano de Enfrentamento às Arboviroses, outras brigadas serão instaladas em unidades de ensino e públicas e privadas. Desde 2017, foram implantadas mais de 150 brigadas e 150 ovitrampas nos oito distritos sanitários do município, em lugares como o edifício-sede da Prefeitura, colégios, nos dois Centros Comunitários da Paz (Compaz), em clubes como o Náutico, entre outras instituições. Mais de 760 brigadistas foram treinados pela Vigilância Ambiental do Recife, com o objetivo de engajar a sociedade civil no combate aos focos do Aedes aegypti.

ARBOVIROSES – Este ano, até o começo do mês de junho, foram notificados 1.538 casos de arboviroses, sendo 1.295 de dengue, 200 de chikungunya e 43 de zika. Dentre estas notificações, foram confirmados 429 casos de dengue, 32 de chikungunya e quatro de zika. Em comparação ao mesmo período do ano anterior, houve uma redução de 9,9% dos casos notificados e de 32,6% dos casos confirmados.

SEMANA DO MEIO AMBIENTE – Desde a última segunda-feira (3), a Secretaria de Saúde do Recife vem desenvolvendo ações de educação e saúde ambientalem escolas, unidades de saúde, mercados públicos e outros espaços da cidade em alusão à Semana do Meio Ambiente. Entre os temas abordados estão os cuidados com a água e o descarte correto do lixo, a redução do impacto dos desastres ambientais sobre a saúde pública, prevenção e cuidados para evitar o aparecimento de arboviroses, escorpiões e ratos.

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »