Saiba como lidar com os calos nas mãos que surgem devido à musculação

Saiba como lidar com os calos nas mãos que surgem devido à musculação

Publicado em 14/01/2020 por Revista algomais às 11:07
Dermatologista Dra. Paola Pomerantzeff explica como prevenir e tratar as alterações nas mãos causadas devido ao atrito provocado pelos equipamentos da academia.

A musculação é uma das práticas de exercícios físicos mais vantajosas para o organismo, promovendo uma série de benefícios que incluem melhora da postura corporal, redução de gordura, tonificação dos músculos, entre diversos outros. Porém, em meio a tantas vantagens existem também alguns prejuízos, como o surgimento de calos, problema que causa grande desconforto estético, além de também atrapalhar o seu desempenho durante o treino. “Os calos são áreas da camada mais externa da pele que se tornaram duras, grossas e rígidas devido ao atrito constante causado em uma determinada região”, explica dermatologista Dra. Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Podendo surgir em qualquer região do corpo, dependendo da atividade responsável por causar o atrito, os calos decorrentes da musculação aparecem geralmente nas mãos devido ao modo como utilizamos os aparelhos e equipamentos da academia, sendo a barra de supino o objeto que mais contribui para o surgimento destas alterações por causa da forma como é segurada. “Mas é possível prevenir os calos através de alguns cuidados, como fazer uso de luvas de proteção na hora de pegar peso. Caso as luvas te atrapalhem, usar giz ou cal nas mãos também é uma opção, já que estas substâncias facilitam o uso correto do aparelho, permitindo que este escorregue sem causar grande pressão ou atrito”, recomenda a dermatologista. “Outra boa dica é fazer uso de um creme hidratante especifico para a área das mãos, de preferência que contenha ureia em sua formulação. O uso deste produto duas vezes por dia pode ajudar a prevenir os calos.”

Porém, se você já sofre com calos a boa notícia é que é possível tratá-los. A proteção da área afetada é fundamental, então, novamente, o uso de luvas e faixas é recomendado. É importante que de modo algum você fure, corte, ou lixe os calos em casa, pois isso pode causar feridas, sangramentos e infecções, além de promover um efeito rebote, onde a pele se regenera mais espessa, piorando o quadro. “O ideal então é que você consulte um dermatologista. Ele poderá, por exemplo, receitar cremes formulados com ativos queratolíticos, como o ácido salicílico, que dissolve a queratina presente no calo, eliminando-o e deixando a pele macia novamente”, finaliza a Dra. Paola Pomerantzeff.

DRA. PAOLA POMERANTZEFF: Dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), tem mais de 10 anos de atuação em Dermatologia Clínica. Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina Santo Amaro, a médica é especialista em Dermatologia pela Associação Médica Brasileira e pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, e participa periodicamente de Congressos, Jornadas e Simpósios nacionais e internacionais. http://www.drapaola.me/

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »