Controle urbano no foco

Controle urbano no foco

Publicado em 28/10/2020 por Revista algomais às 19:22

O controle urbano é um dos pilares defendidos pelo projeto O Recife que Precisamos 2021. Enviamos para os candidatos a pergunta abaixo e publicamos hoje na íntegra as respostas de Mendonça Filho (DEM), Delegada Patrícia Domingos (Podemos), Marília Arraes (PT), João Campos (PSB), Charbel Maroun (Novo) e do Coronel Feitosa (PSC). Os demais prefeituráveis não responderam até o final desta edição ou não foram localizados.

Qual será a sua proposta em relação ao controle urbano no município e cuidado com a cidade?

CHARBEL MAROUN – Teremos um projeto de zeladoria permanente para a cidade que realizará parcerias público privadas entregando espaços públicos como parques e praças, calçadas e até mesmo uma região inteira como o Bairro do Recife a gestão privada, com fiscalização da manutenção dos espaços públicos por parte da comunidade local e do município. Em troca de dar manutenção e reforma o parceiro privado receberá parte do IPTU da região.
MENDONÇA FILHO – Vou atuar com foco na recuperação dos espaços públicos que hoje estão degradados, como praças, parques, mercados e a orla de boa viagem. A recuperação desses equipamentos é fundamental para melhorar a qualidade de vida do cidadão recifense e do turista que vem aproveitar as potencialidades de nossa cidade. Acredito que a guarda municipal será uma importante aliada na preservação desses equipamentos, por isso irei fortalecer sua atuação garantindo a posse da arma e uma constante capacitação através da academia da guarda que será implantada durante minha gestão. Em relação ao controle urbano, vou trabalhar para garantir uma melhor fluidez no deslocamento na cidade do recife. Por essa razão, pretendo: 1-aumentar o monitoramento e sincronização dos semáforos nos principais corredores, garantindo uma melhor fluidez e segurança no trânsito. 2- elaborar proposta de incentivo a construção de edifícios garagem em pontos estratégicos e articulados com o sistema de transporte de passageiros, reduzindo o estacionamento de veículos nas vias; e 3- promover a desobstrução dos corredores de transporte, do Centro Principal e dos Centros Secundários através de negociação e a adequação da legislação pertinente, de forma a evitar que o processo de carga e descarga prejudique a fluidez do trânsito, sem comprometer o acesso dos comerciantes a suas mercadorias.

MARÍLIA ARRAES – Quando falamos em ordenamento e controle urbano, é importante falar sobre o direito à cidade, o uso e o compartilhamento democrático do espaço urbano. Algumas das propostas do nosso plano de governo, por exemplo, são: a retomada do processo de revisão do Plano Diretor do Recife, a revisão da Lei de Uso e Ocupação do Solo e a Lei de Parcelamento previstas no Plano de Ordenamento Territorial, além da elaboração e implantação de planos de bairros e de centralidades que explorem suas potencialidades e que respeitam a memória e as dinâmicas sociais e econômicas. Também é importante e fundamental investir na capacitação de quem faz a fiscalização sobre todos os tipos de intervenção.

DELEGADA PATRÍCIA DOMINGOS – Nossa gestão terá um olhar de carinho para o nosso espaço urbano. Vamos trabalhar em parceria com os microempreendedores para que eles possam trabalhar com condições e tranquilidade. Teremos uma gestão humana, em parceria com especialistas, urbanistas, para dar uma nova cara ao nosso Recife.

CORONEL FEITOSA – O Recife tem um terço da população vivendo em área de morro. Eu irei realizar obras estruturadoras de contenção e prevenção de deslizamento. Farei um trabalho de total recuperação da cidade, com mapeamento, cadastramento, requalificação e urbanização das comunidades e morros, focando na prevenção de desastres, apoio emocional das famílias e melhoria na qualidade de vida da população. As pessoas que vivem em ocupações e assentamentos informais e ilegais terão soluções de moradia com obras de infraestrutura e equipamentos públicos de interesse da sociedade.

Os trabalhadores informais serão incentivados no meu governo com um trabalho multidisciplinar de identificação e desenvolvimento de vocações locais. Irei apoiar a geração de novos negócios como também a viabilidade para que esses negócios prosperem e as pessoas possam ter meios para o seu sustento.

Irei instalar fontes de captação de energia solar nos prédios públicos e iluminação pública, articulando parcerias para financiar a instalação de fontes de captação de energia sustentável e economia para a população. Há muitas áreas no Recife que são desassistidas, virando pontos de atuação de criminalidade. Por isso, irei requalificar toda a rede de iluminação pública.

Campanhas de educação sanitária ambiental serão incentivadas durante o meu governo, para que haja o uso consciente da água, o descarte de resíduos sólidos e o combate ao desperdício. Através de máquinas automatizadas, com sistema de coleta de material reciclado espalhadas por diversos pontos da cidade, o cidadão poderá realizar o descarte correto e ainda será remunerado, após coleta mínima, com crédito em conta bancária.

JOÃO CAMPOS – Pessoalmente, inclusive nas ruas, há o diálogo com os vendedores informais e a visão é de que é preciso incentivá-los para que formalizem suas atividades. O principal programa nesse sentido é o Crédito Popular do Recife, que vai beneficiar 10 mil recifenses anualmente. Ao mesmo tempo, a economia da cidade aquece, já que serão concedidas linhas de crédito de até R$ 3 mil e quem está negativado poderá acessá-las. A taxa é de 0,99% ao mês, com quatro meses de carência, e a Prefeitura vai pagar a última parcela se a pequeno empreendedor pagar em dia. Além de desburocratizar o acesso ao crédito, o programa combate a agiotagem. Outras ações, que incluem a continuidade e avanço nas obras de revitalização e reorganização do centro, também são propostas. O Projeto Antônio Vaz, que compreende uma gestão territorializada e integrada do centro da cidade: o Bairro do Recife e os bairros que compõem a Ilha de Antônio Vaz (São José, Santo Antônio, Joana Bezerra e Cabanga). O objetivo é dar uma atenção ao centro expandido da cidade com uma proteção por completo. Precisamos olhar essas localidades de forma integrada. Precisamos ter um cuidado específico de zeladoria urbana, de segurança e proteção do comércio. Vamos promover um escritório específico para poder focar no centro do Recife.

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »