Presidência: Representantes de candidatos debatem políticas de mobilidade urbana

Presidência: Representantes de candidatos debatem políticas de mobilidade urbana

Publicado em 01/08/2018 por Revista algomais às 16:37

Representantes dos candidatos à presidência da República participaram do seminário “E agora, Brasil? – Transporte Público”, organizado pelo jornal Folha de S. Paulo em parceria com a NTU (Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos). Para todos os reapresentantes é necessário priorizar o transporte público, fazer melhorias na qualidade do serviço, além de realizar novos investimentos em infraestrutura.

O representante da candidatura do PT, Jilmar Tatto, reforçou a necessidade da volta dos investimentos na modernização e expansão dos modais de transportes que existem hoje. “Uma das nossas propostas será a criação de um fundo de reservas para aplicarmos recursos em transportes. Hoje o Brasil tem uma reserva no fundo soberano de aproximadamente US$ 360 bilhões. Vamos investir US$ 10 bilhões desse total em infraestrutura apenas no primeiro ano de governo”, afirmou Tatto. O político ressaltou, ainda, que o plano de governo do partido priorizará o pedestre, para que ele consiga fazer a integração entre todos os modais.

Já o porta-voz do candidato do PSDB, Jurandir Fernandes, ressaltou a importância dos seis grandes programas apresentados pela NTU. “As sugestões são importantes e devem sempre estar na pauta de todos os governantes”, destacou. “Devemos investir em tecnologias de mobilidade urbana. Temos todas as informações necessárias para criar um sistema que seja capaz de contribuir para o desenvolvimento do setor”.

Para o representante da candidatura do MDB, Tarcísio Gomes de Freitas, o investimento em infraestrutura é essencial para o Brasil. Na avaliação do político, mobilidade urbana tem de ser uma política de desenvolvimento urbano. “Essa é uma questão que deve ser sempre debatida. Mobilidade deve ser integrada, deve ir além dos modais de transporte individual. É papel do governo fomentar a iniciativa para viabilizar novas soluções para esse setor. A visão integradora deve ser constante no governo”, finalizou Freitas.

Investir em uma política de transporte de inclusão social foi a proposta do candidato do PCdoB, representando por Wagner Fajardo. Para ele, o governo deverá ampliar os programas de benefícios da população já que o transporte de passageiros tem um papel fundamental apara a inclusão social. “Um outro ponto que é prioridade para o partido é inverter a lógica do transporte individual. O povo precisa usufruir da cidade e os meios de transporte coletivo é que vão fazer essa diferença”, finalizou.

(Do site da NTU)

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »