À flor da pele: Covid-19, chuvas intensas e eleições aumentam a ansiedade da população

*Por Rafael Dantas

Os transtornos relacionados à ansiedade cresceram 25,6% no planeta, em 2020, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. O isolamento social, a perda de entes queridos pela Covid-19 e toda desordem econômica que a pandemia deixou estão entre as raízes desse mal que está ainda longe de ser enfrentado de forma efetiva. Neste ano, ao menos no Brasil e no Estado, há novos fatores nessa conta. Toda a tensão envolvendo as eleições que acontecerão em outubro e, no caso pernambucano, os traumas deixados pelas chuvas que inundaram a Região Metropolitana e parte da Zona da Mata, também contribuem para esse contexto de pressão sobre a saúde mental da população.

Rosa (nome fictício), 38 anos, não conseguiu lidar bem com o aumento do volume de trabalho no home office em meio à pandemia, o medo acerca do futuro profissional em um mercado em crise e o afastamento da interação social. Ela não havia percebido que as preocupações se tornaram tão excessivas que já prejudicavam sua saúde. Até que começou a ter crises.

“Eu comecei a me angustiar até com problemas pequenos, pensamentos recorrentes, que se juntavam com tristezas do passado. Ao mesmo tempo em que não conseguia parar de me preocupar com o futuro, perdia também minha concentração no trabalho e a minha produtividade foi caindo. Isso me deixava cada vez mais angustiada”, afirma a profissional, que procurava trabalhar cada vez mais como uma forma de escape das suas preocupações.

Sem horários definidos de quando começar ou terminar o expediente, ela passou a reduzir o cuidado com ela mesma, gerando um ciclo que comprometia gradativamente a saúde. “Quando estava ficando insuportável, eu dormia e não sabia que tinha dormido. A mente estava o tempo todo acelerada, mesmo com coisas bestas. Foi quando caiu a ficha que isso não era normal e que era preciso fazer alguma terapia para sair dessa crise. A psicóloga me ajudou a driblar um pouco esse contexto e ficar mais no presente do que na ansiedade do futuro e nos problemas do passado”.

Deixe seu comentário

Assine nossa Newsletter

No ononno ono ononononono ononono onononononononononnon