Acordo de R$ 21 milhões entre Brasil e Alemanha trará investimento em hidrogênio verde para PE – Revista Algomais – a revista de Pernambuco
Gente & Negócios

Gente & Negócios

Rafael Dantas

Acordo de R$ 21 milhões entre Brasil e Alemanha trará investimento em hidrogênio verde para PE

Uma parceria entre o Brasil e a Alemanha irá trazer para investimentos em pesquisa, desenvolvimento e inovação de projetos relacionados ao hidrogênio verde. O acordo bilateral, assinado nesta semana pelo SENAI Nacional e pela Federação Alemã de Associações de Pesquisa Industrial (AIF), irá aportar cerca de R$ 21 milhões em até dez projetos que envolvam pequenas e médias empresas, start-ups e organizações de pesquisa e tecnologia dos dois países.

A missão industrial será coordenada pelo Instituto SENAI de Inovação para Tecnologias da Informação e Comunicação (ISI-TICs), sediado em Pernambuco, e irá propiciar a atração de novos investimentos para o TecHUB Hidrogênio Verde de Suape, que é um ambiente voltado para promover a pesquisa, o desenvolvimento e a validação de soluções inovadoras relacionadas ao hidrogênio verde (H2V). Seis projetos já foram selecionados para serem desenvolvidos neste ambiente. Com o novo acordo a expectativa é aumentar esse número.

Um dos primeiros passos da parceria será o lançamento de uma chamada pública, dentro das próximas semanas, para selecionar os projetos de PD&I que serão financiados pelo acordo. Empresas brasileiras e institutos da Rede SENAI de Inovação poderão participar da disputa, com as propostas que devem ter duração de 12 a 36 meses e comecem a ser executadas em 2024. “O Brasil tem um grande potencial relacionado à produção de energias renováveis e, consequentemente, de hidrogênio verde, e isso precisa ser aproveitado. Hoje, o custo relacionado à produção e ao transporte dessa energia ainda é muito caro, e o papel de instituições de pesquisa, como os institutos da Rede SENAI de Inovação, é essencial para torná-la acessível. O Porto de Suape, com o TecHUB e suas áreas de laboratórios e plantas-piloto, pode a contribuir com essa etapa de transformação”, ressalta o diretor do ISI-TICs, Pierre Mattei.

Deixe seu comentário

Assine nossa Newsletter

No ononno ono ononononono ononono onononononononononnon