Assine

Aumento no consumo de fast-food e bebidas alcoólicas aliado ao sedentarismo é sinal de alerta

Aumento no consumo de fast-food e bebidas alcoólicas aliado ao sedentarismo é sinal de alerta

Publicado em 10/06/2021 por Revista algomais às 4:27
Sérvio Fidney, chefe do serviço de Cirurgia Geral e Bariátrica do Hospital Agamenon Magalhães e cirurgião da equipe do Real Hospital Português e do Hospital Jayme da Fonte.

A pandemia causada pelo novo coronavírus trouxe novos hábitos, entre eles, o maior consumo de alimentos com baixos valores nutritivos, além da alta ingestão de bebidas alcoólicas. Somada à baixa prática de atividades físicas, essa combinação pode levar à obesidade. Com base em dados divulgados por uma pesquisa da Unicef/Ibope, houve um grande aumento de consumo de alimentos industrializados por 31% dos entrevistados, de fast-foods em 20% e 19% de refrigerantes.

De acordo com o cirurgião bariátrico Sérvio Fidney, chefe do serviço de Cirurgia Geral e Bariátrica do Hospital Agamenon Magalhães e cirurgião da equipe do Real Hospital Português e do Hospital Jayme da Fonte, a obesidade tem relação muito próxima com o sedentarismo, e isso está completamente ligado ao balanço energético. “A obesidade tem uma relação direta com o sedentarismo, o gasto de energia precisa ser maior do que o consumo de alimento, porém, com a pandemia o cenário foi completamente agravado”, afirma.

O excesso de calorias de refeições industrializadas e fast-food podem causar inúmeros efeitos no sistema digestório e cardiovascular, pois a maioria desses alimentos possui grande quantidade de carboidrato, presença de sódio, conservantes e aromatizantes, além de pouca ou até mesmo nenhuma fibra. O sistema respiratório também pode ser atingido, pois as calorias geradas pelo fast-food contribuem para o aumento de peso, consequentemente podendo causar a obesidade, e através dela, problemas respiratórios podem ser desencadeados. “Esses alimentos são compostos por alto valor calórico e baixo valor nutritivo, e a frequência do consumo acaba gerando esse aumento de calorias menos saudáveis, além de poder causar o aumento de peso, elevação dos níveis de colesterol e triglicerídios, problemas cardíacos, hipertensão, e até um maior risco de infarto”, alerta o cirurgião.

O aumento na ingestão de bebidas alcoólicas também aparece nos dados da pesquisa realizada pela plataforma Compre & Confie, entre 24 de fevereiro e 03 de maio de 2020. Comparando o mesmo período do ano de 2019, houve um aumento de mais de 90% no consumo. “Essa busca e aumento durante a pandemia pode se dar devido à ansiedade e outros fatores também, por isso é muito importante manter atenção à ingestão alcoólica que é um grande sabotador da perda de peso”, ressalta o cirurgião bariátrico Sérvio Fidney.

O cuidado com a alimentação sempre deve ser colocado em prática e, durante a pandemia, ele precisa ser redobrado. É crucial manter uma alimentação balanceada, saudável, com ingestão de frutas, verduras ricas em proteínas e vitaminas, além da prática de atividade física da forma mais segura possível, seja dentro de casa ou em áreas permitidas, mas sempre respeitando as restrições e recomendações para evitar o contágio e propagação da Covid-19.

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »