Assine

As histórias e atrativos do Mercado Público de Garanhuns

As histórias e atrativos do Mercado Público de Garanhuns

Publicado em 15/11/2021 por Revista algomais às 6:00
O Mercado 18 de Agosto foi fundado em 15 de novembro de 1967 e inspirado em modelos de mercados da Alemanha é um ícone de cultura, economia e tradição.

*Por Caio Mateus Pessoa, especial para a Algomais

O Mercado Público de Garanhuns 18 de Agosto comemora 54 anos de atividades. Fundado em 15 de novembro de 1967, o espaço é conhecido por oferecer a população produtos que os garanhuenses fornecem. Fora do Mercado, há um complexo que contém o Mercado Público de Farinha, feira livre, venda de artesanatos e o Beco do Fumo. O equipamento tem importância econômica, cultural e turística no Agreste Meridional.

O Mercado 18 de Agosto foi fundado pelo então prefeito, Amílcar da Mota Valença, para oferecer aos produtores de carne e outros gêneros alimentícios um local para vender suas mercadorias. O nome do mercado tem a data da vitória de Valença nas eleições municipais de 1963. Naquele mesmo ano foi iniciada a construção do espaço como fala o historiador e pesquisador Cláudio Gonçalves. “Ao assumir o cargo em 15 de novembro de 1963, Amílcar da Mota Valença tinha em sua plataforma de governo a construção de duas obras de relevantes serviços para população: o mercado público e um colégio de grande porte para os estudantes garanhuenses. O local escolhido para construção pelo prefeito foram alguns antigos prédios onde funcionavam um pequeno mercado e o Empresa de Melhoramentos de Garanhuns (Serviços de Abastecimento de Água e Luz de Garanhuns – SAALG e atual Mercado de Farinha). Esses edifícios eram pertencentes ao município. Já a denominação Mercado Público Municipal 18 de Agosto, ou simplesmente Mercado 18 de agosto, foi uma escolha do próprio prefeito Amílcar da Mota Valença. A data foi marcante em sua vida política, o dia em que foi eleito prefeito de Garanhuns, 18 de agosto de 1963, derrotando o respeitável professor Petrônio Fernandes da Silva”.

.

.

Atualmente o 18 de Agosto tem 163 boxes e destes 80% estão em funcionamento. Os clientes podem encontrar no local serviços e produtos como: lanchonete, carnes, roupas, sapatos, café, feijão, milho e etc. Tudo com preço popular.

Givaldo Calado, Secretário de Turismo e genro do ex-prefeito Amílcar Valença complementa um dado histórico do espaço: “O Mercado 18 de Agosto tem uma história linda e exemplar que começa na Alemanha. De repente, um prefeito da nossa cidade estava naquele país a convite de seu governo, conhece mercados como o “18” e diz a si mesmo ou aos seus botões: ‘Vou levar a ideia pra Garanhuns e, lá, vou construir um’. Foi assim que nasceu o que a gente boa de Garanhuns passou a chamar de ‘Shopping de Garanhuns’. O prefeito da época, Amílcar da Mota Valença, notabilizou-se pelo muito que fez em sua cidade nas duas de suas gestões (1963 a 1968 e 1973 a 1977) , mas o ’18’ não saía de sua cabeça. Ele teria sido sua obra maior e futurista. Por certo, à posteridade” .

Sobre o que comemorar no aniversário do Mercado, José Luís de Andrade, administrador do 18 de Agosto nos fala um pouco sobre o que esse equipamento significa para ele e relata como foi dirigir este local durante a pandemia. “Comemoramos nestes 54 anos de existência do Mercado 18 de Agosto o seu tradicional comércio em seus mais variados segmentos. E também seus comerciantes, alguns deles estão desde a fundação em 1967, demonstrando  dedicação e carinho pelo mercado, como é o caso de seu Né marchante, Zito Santos entre outros. Mesmo aqueles que não mais comercializam vez por outra estão visitando o mercado para matar a saudade. E também comemoramos o fato de boa parte da população durante essas cinco décadas preferir fazer suas compras no Mercado 18 de Agosto, esse estabelecimento comercial tão importante para a nossa cidade. Foi difícil, mas conseguimos administrar seguindo os protocolos e orientações da nossa prefeitura através da Secretaria da Saúde de Garanhuns e a Vigilância Sanitária”.

Próximo dali tem Mercado Municipal de Farinha, antiga Empresa de Melhoramentos de Garanhuns. Em matéria da Revista Ilustração Brasileira de 1924, o prédio já existia e a reportagem ressaltava o esforço do coronel José d’Almeida Filho para Garanhuns ter o abastecimento de água, luz e telefone com linhas urbanas e rurais. Neste ano,  o Mercado de Farinha foi interditado pelas más condições estruturais e os feirantes que ali trabalhavam foram transferidos para o 18 de Agosto.

No mesmo complexo também existe o icônico Beco do Fumo, local que de início vendia somente fumo de corda ou conhecido também como “fumo de Arapiraca”. É possível encontrar também neste local ervas medicinais, temperos de cozinha, lambedores, garrafadas, colheres de pau até artesanato. O Beco serviu também de inspiração para elaborar um documentário homônimo do local e que foi produzido pelos alunos dos Professores Wilson Freire e Tiago Lira, na oficina Memória do Lugar (Audiovisual), dentro da Programação do 22º Festival de Inverno de Garanhuns.

.

Antigo beco do fumo em Garanhuns, em 1980. Acervo de Massilon Falcao

.

ESPERANDO POR UMA REFORMA

Fora do 18 de Agosto tem uma feirinha onde é possível encontrar hortaliças, comidas típicas, café artesanal e até mel. Vendendo algum desses produtos há três anos, Betânia Lima vem de Miracica, Zona Rural de Garanhuns. Ela fala um pouco sobre a atuação da Prefeitura de Garanhuns e o potencial turístico que não é aproveitado. “Aqui já tivemos diversas conversas para algumas melhorias, mas ficou em promessas. A região daqui do Mercado 18 de Agosto poderia ter um olhar melhor das autoridades e enxergar aqui como um ponto turístico já que a gente tem coisas que os turistas gostam, mas até agora não vi mudanças por aqui.”

.

Betânia Lima é comerciante em Garanhuns

.

Sobre a revitalização do Mercado 18 de Agosto, o secretário Givaldo Calado revela que há um planejamento dentro do poder municipal. “Temos, sim, um planejamento! O prefeito Sivaldo Albino conseguiu reunir um time muito bom, que conhece a sua cidade e que sabe dar o valor que ela merece, que sonha no dia a dia com seus encantos e, um deles, não tenham dúvida, é o ’18’. O nosso gestor vive atrás de recursos para conferir à sua cidade as obras capazes de incrementar o turismo, fonte de geração de emprego e renda em todo o mundo, e nós estamos nesse mundo”.

Questionado sobre a comemoração dos 54 anos do 18 de Agosto , o secretário comenta: “Ainda hoje(11), estivemos com nosso prefeito. Não imaginem sua tristeza. Mais um aniversário do ‘18’, e nada. Nada solene. Nada de fogos. Mas, muito, de propósitos. Que haveremos de celebrar, brevemente. E neste 15 de novembro estaremos a dizer, em uníssono, que a obra sonhada na Alemanha por um filho de Garanhuns continua a ser cultuada, através de gerações e, mais que cultuada, preservada, como exemplo às gerações futuras”.

A secretária de Agricultura e Abastecimento de Garanhuns, Pâmela Rodrigues, afirma que o equipamento deve receber as almejadas melhorias em breve. “O Mercado 18 de agosto é sem dúvidas, pelo seu histórico de falta de governança, hoje um dos espaços mais desafiantes para atual gestão. O espaço veio com a concepção de avanço e modernização, hoje precisa de muitos ajustes, os quais vem sendo discutidas desde o primeiro momento com o atual gestor municipal construindo o trabalhando de forma multidisciplinar para promover melhorias no mercado”.

Já sobre a comemoração dos 54 anos Mercado Municipal, Rodrigues destaca: “Vou te falar sobre as pessoas, as histórias dessas pessoas entrelaçadas a história do mercado, as famílias os comerciantes que são a alma, a vida do 18 de Agosto, tendo a total consciência do potencial do espaço, da forma que se encontra. E a vontade de transformar o espaço que é tão importante para a história econômica de Garanhuns.”

*Por Caio Mateus Pessoa é jornalista

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »