Assine

Pernambuco registra recuo de 9% no consumo das classes C e D

Pernambuco registra recuo de 9% no consumo das classes C e D

Publicado em 04/06/2021 por Revista algomais às 5:00

Depois de uma leve oscilação negativa no consumo em março, de 0,1%, Pernambuco registrou uma queda de 9% em abril, segundo os dados da Pesquisa de Hábitos de Consumo das Classes C e D da Superdigital, fintech do Santander. O levantamento é realizado mensalmente e busca traçar o perfil do consumidor dessa faixa da população.

Os dados revelaram que o consumo pernambucano sofreu uma queda maior nas categorias Rede Online (-42%), Diversão e Entretenimento (-31%), Automóveis e Veículos (-31%) e Combustível (-29%). Contudo, houve crescimento dos gastos com Companhias Aéreas (19%), Lojas de Roupas (11%) e Prestadores de Serviços (6%).

Ao contrário dos dois meses anteriores, quando teve o melhor resultado entre os três estados do Nordeste observados na pesquisa da Superdigital – ao todo, o levantamento analisa o cenário em nove no País -, Pernambuco apresentou o pior desempenho na região. O Ceará se recuperou em abril, com acréscimo nos gastos de 3%, após recuou, em março, de 1%. Já a Bahia teve uma queda inferior ao recorte anterior. Após um recuo de 10%, em março, somou um déficit de 1% em abril.

A média do País ficou negativa em 5%. Entre as cinco regiões, o Sudeste apresentou queda mensal de 7%, seguido pelo Sul (-6%), Nordeste (-4%), Norte (-2%) e Centro-Oeste (-1%).

Segundo Luciana Godoy, CEO da Superdigital no Brasil, a pesquisa mostra que ainda falta confiança no consumidor para voltar a comprar com tranquilidade, como aconteceu no final do ano passado. “Vimos em outubro, novembro e dezembro uma boa recuperação do consumo nas Classes C e D, depois de um 2020 muito difícil. Mas, com o avanço da Covid-19 e as suas consequências na economia, principalmente em março e abril, muitas famílias ainda estão inseguras para voltar às compras”, diz a executiva. O índice de confiança do consumidor, medido pela FGV em abril, estava em 72,5 pontos, melhor que em março, mas muito abaixo dos 91,7 pontos medidos em dezembro de 2020.

Em termos setoriais, quando observados os números do Brasil como um todo, as maiores quedas registradas em abril na comparação com março foram em Rede Online (-14%), Companhias Aéreas (-7%), Diversão e Entretenimento (-6%) e Combustível (-4%). Enquanto isso, cresceram os gastos com Lojas de Roupas (10%), Prestadores de Serviços (9%) e Lojas de Artigos Diversos (4%).

“Com os dados de abril, podemos perceber que os gastos com restaurantes pararam de cair, devido à reabertura do comércio. Nossa expectativa é de que a confiança para consumir volte aos poucos, conforme a vacinação alcance um número maior de pessoas e, em decorrência disso, a economia demonstre uma recuperação mais robusta”, explica a executiva.

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »