Era uma vez a ferrovia até Suape? Ministro responde que não – Revista Algomais – a revista de Pernambuco
Gente & Negócios

Gente & Negócios

Rafael Dantas

Era uma vez a ferrovia até Suape? Ministro responde que não

O Ministro dos Transportes Renan Filho esteve em Pernambuco hoje, onde tem reunião com a governadora Raquel Lyra. Antes, porém, ele deu entrevista ao jornal Bom Dia PE em que reafirmou o compromisso do presidente Luis Inácio Lula da Silva em construir o trecho Salgueiro – Suape da Transnordestina. A linha que corre pelo sertão do Estado foi removida do empreendimento através de um aditivo assinado no apagar das luzes de 2022.

“Não tem sentido o Governo Federal fazer uma ferrovia estruturante para essa região retirando o braço de Pernambuco, de Salgueiro até Suape, dada a importância do Porto de Suape e da importância do Estado de Pernambuco para o desenvolvimento econômico da região. O presidente Lula, diferentemente da decisão anterior, não vai permitir que Pernambuco fique de fora. Vamos buscar outras alternativas para atrair outros investidores privados, ou mesmo se não tiver essa alternativa, o Governo vai tocar o trecho de Pernambuco com recursos públicos federais, para que a gente tenha a condição de integrar o Nordeste como todo. Aliás, depois essa ferrovia transnordestina precisa também ser integrada a Norte Sul para que a gente veja uma possibilidade mais ampla nacionalmente falando da circulação de insumos e também de mercadorias da região Nordeste para outras regiões do Brasil. Por isso é fundamental que Pernambuco esteja inserido também nesse projeto da Transnordestina. Essa é a opinião do Governo do Estado e é também a opinião do governo do presidente Lula”, afirmou o ministro Renan Filho.

Foi a declaração mais enfática do ministro desde que a exclusão da linha pernambucana até o Porto de Suape foi excluída da Transnordestina, ainda no Governo Bolsonaro. Outro compromisso importante foi destacar que as obras serão realizadas no mesmo tempo das obras que estão em andamento entre Salgueiro e o Porto de Pecém.

“Ao mesmo tempo, a concessionária está fazendo a obra de Elizeu Martins no Piauí até Salgueiro em Pernambuco, no sertão Pernambucano, e de Salgueito até o Porto de Pecém, no Ceará. E de Salgueiro até o Porto de Suape pode ser feito por recursos privados, se houver interessados, tem até uma autorização que pode ser viabilizada, ou ser feita concomitantemente com recursos públicos. Não vai esperar o outro trecho ficar pronto. O governo pode iniciar, inclusive já, isso precisa ser feita uma tratativa, porque o projeto é da concessionária. A gente precisaria discutir todas essas questões, mas isso já está em discussão. E a decisão do presidente é que Pernambuco não vai ficar fora da inserção do ramal ferroviário do Nordeste”, explicou Renan Filho.

Desde março a Algomais vem publicando a série de reportagens Era uma vez uma ferrovia, contando a história desse empreendimento que é estratégico para a região Nordeste, mas que Pernambuco estava de fora. O posicionamento político do Governo Federal por reverter a decisão costurada nos últimos anos e assinada em dezembro de 2022 é uma sinalização importante para o Estado ter um novo final dessa história. Essa, inclusive, foi a resposta feita em um Twitter do Ministério dos Transportes após a entrevista. Era uma vez o trecho de Salgueiro/PE a Porto de Suape/PE, da Transnordestina? A resposta é NÃO.

LEIA AS REPORTAGENS DA SÉRIE ERA UMA VEZ UMA FERROVIA

Era uma vez uma ferrovia: Pernambuco luta pelo ramal para Suape que ficou fora da Transnordestina
“Não se pode, em hipótese alguma, excluir o trecho até Suape da Transnordestina”
Cresce mobilização política por ramal da Transnordestina até Suape
“O ramal de Suape da Transnordestina é mais competitivo para os donos das cargas”
Por que Pernambuco não pode perder a ferrovia de Suape ao Sertão?
“Temos chances reais de dobrar a movimentação do Porto de Suape com a ferrovia”
Francisco Cunha: “Pernambuco perder a Transnordestina é inaceitável”
Ministério fará novos estudos para ferrovia em Pernambuco
Transnordestina e Suape: uma ligação essencial
“A McKinsey não disse que era para levar a Transnordestina para o Ceará”
A ferrovia esquecida: Os desafios e memórias de um passado abandonado em Pernambuco
“Sem a Transnordestina a perda será tão grande quanto foi ficar sem Alagoas e a Comarca do São Francisco”

Deixe seu comentário

Assine nossa Newsletter

No ononno ono ononononono ononono onononononononononnon