Festivais de animação formam novo público

Os festivais de animação que acontecem no Estado impulsionam a formação de público para a produção local e para exibição dos filmes que estão fora do circuito comercial. Em Pernambuco destacam-se o Animage, o Animacine e o Festival Internacional Brasil Stop Motion. Mostras que já não se restringem apenas ao Recife.

Em 2019, o Animage completará 10 anos ininterruptos. Os números da edição do ano passado impressionam. Mais de sete mil pessoas passaram pelas salas do evento que é coordenado por Antônio Gutierez (Gutie). Atualmente ele é o festival brasileiro de cinema nesse segmento com o maior número de longas-metragens exibidos.

Antônio Gutierrez, coordenador do Animage.

A qualidade da produção pernambucana tem garantido espaço na disputada programação do evento. “O Animage não privilegia a produção local. A definição do conteúdo é feita dentro de uma curadoria bastante rigorosa em que contemplamos produções independentes e experimentais focadas na qualidade artística. Mas o nível dos trabalhos locais tem avançado muito e isso reflete na participação dos filmes pernambucanos no festival”, conta Gutie. Na última edição do Animage mais de 800 produções do mundo todo foram inscritas para o evento, que exibiu 202 trabalhos entre curtas e longas. Além do Recife, o evento teve exibições em Caruaru, Belo Jardim e Triunfo.

O animador e presidente da ABCA-PE, Tiago Delácio, coordena o Animacine – Festival de Animação do Agreste, que passa pelas cidades de Gravatá, Caruaru e Bezerros. Realizado a cada dois anos, o evento foi idealizado por Lula Gonzaga. “Nossa proposta é exibir essa produção para um público mais carente de informação e arte. E, inclusive, abrir espaço para exibição da produção que já é feita na própria região do Agreste”, destaca Delácio. A programação conta também com oficinas e mesas de debate. A última edição partiu de uma seleção de 1.827 filmes de 96 países.

O Festival Internacional Brasil Stop Motion, dirigido por Ana Farache, é outra atração do calendário cultural pernambucano. Em atividade desde 2011, o evento interiorizou suas exibições no ano passado. Além do Recife, os filmes foram apresentados em Caruaru e em Triunfo. Trata-se do único evento na América do Sul e terceiro no mundo dedicado a essa tradicional técnica de animação. Na última edição foram exibidos 75 produções de 32 países. Uma das características desse festival é a preocupação com a inclusão, pois oferece sessões com acessibilidade comunicacional, atingindo as pessoas cegas e surdas.

*Por Rafael Dantas, repórter da Revista Algomais (rafael@algomais.com)

Deixe seu comentário

Assine nossa Newsletter

No ononno ono ononononono ononono onononononononononnon