Literatura de horror é tema da Fenelivro desta sexta-feira (23)

Programação da feira fecha a noite com a banda Café Preto, projeto paralelo de Cannibal, às 20h30

O gênero literário de terror será o tema do bate-papo desta sexta-feira (23), às 18h30, durante a 6ª Fenelivro, que segue até o domingo (25). Caminhos do pavor: o horror insólito na literatura brasileira contemporânea terá participação dos autores de terror Márcio Benjamin e Paula Febbe, e mediação do jornalista, escritor e criador do site O Recife Assombrado, Roberto Beltrão. “Márcio e Paula fazem parte de uma geração que, de certa forma, ‘desafia’ o cânone da literatura brasileira que, por décadas, desde o fim do século XIX, foi o realismo. Em outras palavras, a literatura de gênero sempre foi considerada ‘marginal’ ou ‘menor’ por grande parte dos acadêmicos e quase desconhecida do público”, analisa Roberto. Esse cenário, no entanto, vem se modificando desde meados da primeira década do século XXI, segundo Beltrão, com uma revalorização da literatura de horror em detrimento do fantástico e do realismo mágico que vem ocorrendo na América Latina.

Para a paulistana Paula Febbe, escrever sobre terror é como colocar para fora os próprios medos. “Minha literatura é resultado do meu insconsciente”, define Paula, que estudou psicanálise justamente para entender seus processos mentais e colocá-los no papel. “É como uma catarse que pode nos salvar das nossas dores. Quando entendemos o que nos assombra, fica mais fácil superar”, explica Paula, acrescentando que o mercado do terror tem crescido bastante no Brasil. “A minha geração fala mais sobre sentimentos, sobre o que incomoda”, explica a escritora, que também é roteirista, está fazendo mestrado em psicologia criminal, e ainda ministra o curso Serial Killer: a construção do personagem, na escola Roteiraria, em São Paulo.

A banda pernambucana Café Preto é um projeto de Cannibal (vocalista da banda Devotos), DJ PI-R e Bruno Pedrosa. Diferente do som pesado do Devotos, a Café Preto traz músicas com referências da cultura local e letras e melodias no modelo Sound System, com delays, reverbs e sonoridades de Dubs e Reggae. O grupo se apresenta às 20h30.

Confira programação completa:

23.09 – Sexta-feira

9h – Contação de Histórias / Arena

A palavra da boca pra fora, de Clara Angélica, com Lili

9h30 – Videoteatro / Cine Fenelivro

A Metamorfose, para quem tem medo de humanos (6’49”), do Coletivo Teatro de Retalhos

10h – Oficina / Tenda

Entorninho: a pintura da Cidade, com Emerson Pontes

10h30 – Videoteatro / Cine Fenelivro

A Metamorfose, para quem tem medo de humanos (6’49”), do Coletivo Teatro de Retalhos

14h – Contação de Histórias / Arena

A palavra da boca pra fora, de Clara Angélica, com Lili

14h30 – Videoteatro / Cine Fenelivro

A Metamorfose, para quem tem medo de humanos (6’49”), do Coletivo Teatro de Retalhos

15h – Oficina / Tenda

Grafitte, com Larone

15h30 – Videoteatro / Cine Fenelivro

A Metamorfose, para quem tem medo de humanos (6’49”), do Coletivo Teatro de Retalhos

16h – Oficina / Cine Fenelivro

Os princípios da animação, Pablo Ferreira da Escola VIU CINE de Criatividade

18h30 – Bate-papo / Palco

Caminhos do pavor: o horror insólito na literatura brasileira contemporânea, com Paula Febbe (SP) e Márcio Benjamin (RN). Mediação de Roberto Beltrão (PE).

19h30 – Lançamento / Arena

Feiticeiros de Acbar (Cepe) de Simone Aubin. Apresentação de Clara Barboza de Lucena e Sérgio Pires Barbosa

20h30 – Show / Palco

Café Preto, projeto musical de Cannibal e dos DJs PI-R e Bruno Pedrosa

Deixe seu comentário

Assine nossa Newsletter

No ononno ono ononononono ononono onononononononononnon