Assine

Fim de ano seguro: 10 dicas para prevenir acidentes com as crianças

Fim de ano seguro: 10 dicas para prevenir acidentes com as crianças

Publicado em 17/12/2021 por Revista algomais às 4:00

Chegou uma das épocas mais festiva do ano. Além das festas, muitos aproveitarão os dias de férias escolares com os filhos em casa ou desfrutando de uma viagem em família. Uma época marcante, para adultos e crianças, mas que requer cuidados para manter os momentos livre de acidentes.

“Decorar a casa e cuidar de cada detalhe para as celebrações de fim de ano é uma ocasião especial para as crianças e envolvê-las nesses preparativos é melhor ainda, porque reforçamos os laços afetivos. Mas, é importante que a segurança delas venha em primeiro lugar, por isso algumas medidas são necessárias para garantir entornos seguros e protetores durante todo esse período do ano”, destaca Erika Tonelli, coordenadora geral do Instituto Bem Cuidar (IBC), unidade meio da Aldeias Infantis SOS para a gestão do conhecimento e responsável pela continuidade do legado da ONG Criança Segura.

De acordo com a especialista, é nesta época do ano que muitos acidentes acontecem com crianças e adolescentes. Para Erika, há três momentos que requerem muita atenção: a montagem da árvore de Natal, os preparos da Ceia de Natal e as férias escolares. Confira 10 dicas que vão garantir uma diversão segura para toda a família neste período.

1. Montagem da árvore

Procure instalar em um canto da casa de difícil acesso para as crianças e longe de móveis que podem ser escalados por elas, evitando quedas. Um outro ponto importante, é fixar bem as árvores grandes, com objetos estáveis, para evitar que elas caiam em cima das crianças.

2. Instalação das luzes

O primeiro ponto de atenção é a fiação. Nunca utilize piscas com fios elétricos desencapados ou com emendas. É comum que todos os enfeites de Natal sejam guardados e reutilizados nos anos seguintes. Mas, essa economia pode causar um prejuízo com danos materiais e queimaduras nas crianças. Outro ponto de atenção é nunca deixar as luzes espalhadas pelo chão, pois as crianças menores podem colocar na boca enquanto estão ligadas na tomada. E, ao dormir ou saírem de casa, desliguem todas as luzes, porque elas podem sofrer um curto-circuito e provocar um incêndio.

3. Escolha dos enfeites

Quando se tem criança em casa, a escolha dos enfeites deve ser pela segurança e não pela beleza dos itens. Evite os que possam quebrar ou que tenham peças removíveis pequenas. A atenção deve ser redobrada com festões e outros cordões usados na decoração, pois podem trazer o risco de estrangulamento, principalmente entre bebês.

4. Cuidado com o forno

O preparo de assados e sobremesas, típicos da ceia de Natal, levam horas e, por isso, é comum que as crianças menores, especialmente as que estão engatinhando, tenham mais exposição ao aquecimento do forno. Fique atento quando eles estiverem na cozinha, evitando que apoiem no forno para se levantarem, causando queimaduras nas mãos. Redobre ainda mais a atenção quando abrir o forno para checar o ponto da receita, já que as crianças são curiosas e gostam de estar atentas a tudo o que os mais velhos fazem. Aqui, o excesso de zelo é a medida recomendada.

5. Não cozinhe com crianças no colo

É uma regra simples que deve ser adotada em todos os outros dias do ano. Mas, como na véspera do Natal os adultos costumam passar mais horas na cozinha, o alerta se faz necessário. Afagar o bebê que chora oferecendo o colo é uma medida necessária muitas vezes, mas só o faça se estiver longe do fogão. O óleo quente pode respingar na criança, ele pode encostar o pé em uma panela quente ou até puxá-la. Sendo assim, além de evitar o colo nessas condições, nunca deixe os cabos das panelas voltados para fora. A criança gosta de descobrir as coisas e pode puxar, derramando todo o conteúdo quente da panela em cima dela.

6. Férias: a hospedagem

Seja na casa de familiares que frequentam esporadicamente ou em outro local de hospedagem, verifique as condições de segurança antes de permitir que as crianças brinquem livremente pelo ambiente e redobre a atenção. Muitas vezes, esses lugares não estão preparados para a segurança da criançada. Essa dica também vale para quem for passar esse período em casa e, nesse caso, passe um pente fino nos cômodos para verificar se há algum produto ou objeto perigoso ao alcance dos pequenos. Caso encontre algo que represente um risco, guarde-o em local seguro.

7. Brincadeiras: Atividades em grupo

Se as férias em família forem em um hotel ou colônia, procure saber se há monitores para cuidar das crianças e, caso haja alguma atividade que utilize equipamentos de segurança, informe-se sobre a validade dos equipamentos e verifique as condições de conservação.

8. Avalie a qualidade dos brinquedos

Os brinquedos devem passar por uma inspeção para checar se há partes soltas ou quebrada com pontas afiadas ou arestas. Caso encontre algum problema que possa causar algum tipo de acidente ou machucado, conserte imediatamente ou descarte.

9. Atividades ao ar livre

Atenção redobrada quando a diversão é ao ar livre. Ao andar de patins, bicicleta ou skate, por exemplo, não se esqueça dos equipamentos de segurança – as crianças devem usar capacete, cotoveleiras e joelheiras, para evitar o risco de lesões graves. Se a atividade escolhida foi soltar pipas, ela só deve ser realizada em lugares abertos e longe da fiação elétrica, sem o uso de cortantes na linha. E, em relação aos parquinhos, os brinquedos não devem estar enferrujados, quebrados ou com superfícies perigosas.

10. Brincadeiras aquáticas

Em ambientes com piscina, praia ou rio, é fundamental que haja a supervisão constante e atenta de um adulto. As crianças devem usar colete salva-vidas, que é o equipamento mais seguro para evitar afogamentos. Boias e outros produtos infláveis podem estourar ou virar a qualquer momento. Quando há salva-vidas no local, siga sempre as recomendações deste profissional.

Erika também reforça a importância de adotar os protocolos sanitários do local de viagem, uma vez que a pandemia da Covid-19 ainda não acabou: utilize máscara para os maiores de 2 anos, mantenha o distanciamento social, evite aglomerações e higienize constantemente as mãos (se não puder lavar com água e sabão, use álcool em gel).

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »