Prefeitura do Recife anuncia Ciclovia da Avenida Agamenon Magalhães

A Prefeitura do Recife anunciou, a licitação para as obras da Ciclovia da Avenida Agamenon Magalhães. Com quatro quilômetros, a via ligará as Zonas Norte e Sul da capital – perfazendo um total de 165 quilômetros conectados de rotas cicláveis no Recife. As obras serão coordenadas pela Secretaria de Política Urbana e Licenciamento (Sepul), através da Autarquia de Trânsito e Transporte do Recife (CTTU), e pela Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb). Com custo de R$ 6,7 milhões – recursos do próprio município -, os serviços têm previsão de dez meses para serem concluídos. O edital de licitação para os trabalhos foi publicado na edição do Diário Oficial do Recife desta quinta.

Os quatro quilômetros da ciclovia serão divididos em dois trechos. O primeiro, unidirecional, segue pela Agamenon Magalhães, do cruzamento com a Rua Leopoldo Lins até as imediações do Hospital Português do Recife, com cada sentido margeando o canal da avenida – seguindo o sentido das faixas de rolamento. A ciclovia terá três metros de largura no sentido único, com guia de proteção entre a faixa de rolamento e a destinada às bicicletas, além de gradis para a divisão do fluxo com os pedestres quando houver sinais de trânsito.

Do Hospital Português até o Cabanga, seguirá pelo Viaduto Capitão Temudo, de forma bidirecional (uma pista para os dois sentidos), com uma ciclovia totalmente segregada do trânsito de veículos automotores. Depois pela Ponte Paulo Guerra até a interseção com a ciclo da Via Mangue. O trecho de viaduto contará com uma solução definitiva também para os pedestres, que atualmente contam com proteção de blocos de concreto.

A Ciclovia Agamenon será alimentada por outras rotas cicláveis, como a Graça Araújo, a Oliveira Lima e a Joana Bezerra. Também será interligada à ciclofaixa da via local da própria Agamenon Magalhães, cuja obra foi iniciada na última semana. De acordo com levantamento do Instituto da Cidade Pelópidas Silveira (ICPS), cerca de 7,5 mil pessoas circulam diariamente de bicicleta pela Agamenon Magalhães.

“Essa obra mostra a coragem e a decisão de entrar nos grandes corredores urbanos para construir ciclovias e incentivar a mobilidade ativa, tanto que começamos por esse que é o eixo viário mais importante de transporte da cidade. E vamos seguir trabalhando para cumprir o que está previsto no Plano Diretor Cicloviário, que é a marca de 250 km de rotas cicláveis até 2024. É um conceito que a cidade abraçou”, comenta o Secretário de Política Urbana e Licenciamento, Leonardo Bacelar.

“O projeto foi concebido pela equipe técnica da CTTU em parceria com a Iniciativa Bloomberg, com a premissa principal sendo a segurança viária. Nos dois trechos – da Agamenon Magalhães e do Capitão Temudo – existe a preocupação em garantir a integridade tanto dos ciclistas como dos pedestres, nos locais em que a circulação entre os dois é compartilhada”, explica a presidente da CTTU, Taciana Ferreira. “Com o chamado para a licitação já publicado no Diário Oficial, nossa expectativa é concluir os serviços dentro dos dez meses estipulados”, diz Sérgio Matos, Diretor de Manutenção Urbana da Emlurb.

MALHA CICLOVIÁRIA – A malha cicloviária do Recife vem recebendo destaque devido à sua evolução nos últimos anos. A cidade foi a que mais avançou na execução do Plano Diretor Cicloviário de Pernambuco, com mais de 70% das rotas complementares sob responsabilidade da PCR cumpridas. Em 2020, a capital pernambucana foi eleita a quarta cidade com a rede cicloviária mais acessível do Brasil em um índice do Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP), que contabiliza a população que está até 300 metros próximo a uma estrutura cicloviária.

Deixe seu comentário

Assine nossa Newsletter

No ononno ono ononononono ononono onononononononononnon