Procura de moradia integrada à natureza cresce na pandemia

O contexto pandêmico da Covid-19, que exige o distanciamento de aglomerações, tem provocado diversas mudanças na vida das pessoas. Isso vai desde a forma de trabalhar (homeoffice), vivenciar os momentos de lazer e prática de atividades físicas (em espaços abertos em contato com a natureza) e, sobretudo, de morar. Sobre esse último item, o mercado imobiliário tem observado um aumento na procura por imóveis em regiões integradas à natureza, afastadas dos grandes centros urbanas. A busca por uma melhor qualidade de vida tem sido a principal causa desse movimento.

Algumas construtoras locais oferecem empreendimentos residenciais com essa característica. Uma delas é a Construtora e Incorporadora OR, com o Residencial Verano, na Reserva do Paiva, Litoral Sul de Pernambuco. “Com a pandemia as pessoas estão procurando cada vez mais estarem próximos de áreas verdes. De 2020 para cá, houve um aumento significativo da população da Reserva do Paiva. A Construtora e Incorporadora OR emplacou mais de R$ 50 milhões em vendas nos empreendimentos, dada a mudança de hábito dos consumidores.

A faixa etária predominante é entre 30 e 60 anos”, revela Victor Amadheu, diretor da Construtora e Incorporadora OR em Pernambuco, empresa responsável pelo início da construção e desenvolvimento do bairro planejado até 2018. “Também tivemos um aumento de 175% para a primeira moradia e um decréscimo de 25%, de segunda. Ou seja, antes as pessoas vinham morar aqui como segunda opção de moradia e agora vem como primeira”, afirma.

De acordo com a médica Isadora Theberge, futura moradora do Verano, a pandemia veio ressignificar muitos conceitos e prioridades, principalmente no que diz respeito à qualidade de vida. “É importante ter uma moradia tranquila, distante da agitação cotidiana. E se for numa área verde, de preservação ambiental e belezas naturais, melhor ainda”, destaca.

Deixe seu comentário

Assine nossa Newsletter

No ononno ono ononononono ononono onononononononononnon