Assine

Pesquisa inédita mostra benefícios de telhado verde em imóveis

Pesquisa inédita mostra benefícios de telhado verde em imóveis

Publicado em 03/06/2021 por Revista algomais às 16:01
Estudo realizado por meio de parceria entre Rio Ave e UFRPE atestou que cobertura vegetal diminuiu calor, consumo de energia com ar condicionado e retém água das chuvas para reaproveitamento. Intenção é diminuir as chamadas “ilhas de calor” urbanas e aquecimento global

Após cerca de quatro anos de testes e análises, ficou pronta uma pesquisa inédita sobre o impacto de telhado verde no meio urbano. O estudo avaliou a cobertura vegetal – aplicada no teto do edifício garagem do empresarial Charles Darwin, na Ilha do Leite, no Recife (PE) – e comprovou que a temperatura do ambiente interno foi reduzida. O sistema também consegue absorver 80% da água da chuva para reaproveitamento em irrigação e limpeza. A pesquisa pioneira no país foi viabilizada por meio de parceria entre a construtora Rio Ave e a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).

Para chegar aos resultados do mapeamento climático, por meio de experimentações, simulações e cálculos matemáticos, foi instalada pela Rio Ave, em meados de 2015, uma estação meteorológica completa, no teto do edifício garagem, e também sensores de temperatura, em salas comerciais. A pesquisa utilizou duas salas fechadas do empreendimento. O estudo usou duas salas fechadas do empreendimento. Na que não tinha telhado verde, a temperatura foi 8% acima da temperatura da área externa. Já a com telhado verde, apenas 3% acima.

O empreendimento tem um dos maiores telhados verdes do Brasil. São 2.800 mil metros quadrados de área verde, que consegue reter 95 mil litros de água, além de sequestrar 14 toneladas de CO2 ao ano. A cobertura verde funciona como um isolante na laje e reduz a incidência direta do Sol. Nela foram cultivadas e testadas mais de 20 mudas nativas e exóticas, e utilizadas ou não em paisagismo. Entre elas estão gramíneas, plantas suculentas, rasteiras ou que formam touceiras. Esta pesquisa vegetal contou com parceria entre Christoph Jung, o paisagista que projetou o telhado.

Melhoria no quarteirão

Segundo a professora doutora do Departamento de Engenharia Agrícola da UFRPE e orientadora da equipe, Cristiane Guiselini, além de melhorar a temperatura interna, a ação também traz benefícios ao entorno. “O telhado verde pode interferir no quarteirão ou até mesmo no bairro. Se outros estabelecimentos também implantassem, o efeito seria enorme na Região Metropolitana do Recife, que apresenta o fenômeno ilha de calor acentuado”, argumenta a professora e orientadora da equipe, Cristiane Guiselini. Ela informou que os resultados foram publicados em revista científica.

“Com esse estudo, queremos incentivar ainda mais o mercado a utilizar essa boa prática que já estamos adotando em outros empreendimentos nossos e ajudar a disseminar o conceito da sustentabilidade na comunidade para melhorar o clima nas áreas urbanas e ampliar as áreas verdes da cidade”, disse o diretor de Engenharia da Rio Ave, Wellington Rodrigues. A Rio Ave é pioneira em relação à aplicação da lei municipal 67/2013, que trata de telhados verdes. Antes mesmo da norma entrar em vigor no Recife, a empresa já havia incluído a iniciativa em alguns projetos.

Resultados da Pesquisa sobre telhado verde:

Temperatura no interior da sala sem telhado verde:

– 28º C, 8% acima da área externa, que era de 26 graus

Temperatura no interior da sala com telhado verde:

– 26,72º C – 3% acima da área externa, que era de 25,90 graus

Economia de energia

-Após instalação, economia de 31.939,07 Kwh-1, reduzindo consequentemente o valor da conta.

Para continuar lendo:
Tenha acesso a 5 textos
gratuitos todo mês
Cadastre-se gratuitamente »
Aproveite todo conteúdo da Revista Algomais sem limites
Assine »