Educação que transforma: De bolsistas a inovadores de alto impacto social

Uma das startups com grande potencial de impacto social de Pernambuco, a Prol Educa, já beneficiou mais de 2,5 mil famílias com bolsas de estudos parciais em colégios de ensino básico e em faculdades de quatro estados brasileiros. Seus sócios, os quase homônimos, Pettrus Nascimento e Petrus Vieira, são amigos desde a infância. E outra coincidência nessa história – além dos seus nomes e de se conhecerem há muito tempo – é que ambos foram também bolsistas no ensino fundamental.

“Morava no bairro da Mustardinha e ele na Muribeca. Daí fui morar em Muribeca também e estudar na mesma escola dele, que era bolsista porque sua mãe é professora. Eu entrei por jogar futsal. Daí tive acesso a educação de qualidade. A vida da pessoa muda. A minha vida mudou. Passei a ter novos propósitos. Se não tivesse tido acesso a essa oportunidade não sei o que estaria fazendo hoje”, conta Pettrus Nascimento.

Ambos, após concluírem o ensino médio, conseguiram ter uma formação superior. O Nascimento graduou-se em logística. E o Vieira em Educação Física. Mas a grande colaboração que eles têm trazido para a sociedade não é nessas áreas acadêmicas, mas é um serviço que foi impulsionado por suas histórias de vida.

“Estudei a Graduação em Logística pagando o curso integral. Entendi a dor disso. Trabalhando e tendo família, teve tempo de sobrar apenas R$ 30 para passar o mês”, relata Pettrus Nascimento.

Seu sócio, Petrus Vieira, trabalhando como professor, via a dificuldade da desvalorização da área e também das dificuldades das próprias instituições de ensino de lidar com a vacância de vagas disponíveis nas salas. Daí eles tiveram a sacada que beneficiou a vida de muitos estudantes: conectar escolas e faculdades com vagas ociosas aos estudantes de baixa renda que poderiam pagar parcialmente o curso.  “Fazemos um trabalho de inclusão social ajudando famílias que não têm condições de pagar mensalidade integral em uma instituição particular. Em contrapartida, a gente consegue preencher aquela cadeira vazia existente na escola e assim também gerando receita para ela”, conta.

A partir dessa conexão, a plataforma do Prol Educa já conseguiu viabilizar bolsas para mais de 2,5 mil estudantes em mais de 300 instituições parceiras. “Com isso, levamos uma receita de mais de R$ 3 milhões para escolas e faculdades parceiras”, conta Pettrus Nascimento.

A ideia dos dois jovens, que nasceram na periferia e transformaram sua experiência estudantil em inovação,  levou a startup Prol Educa a ser incubada hoje na Foz (Centro de Inovação em Saúde e Educação fundado pela Faculdade Pernambucana de Saúde e pelo Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira, IMIP) e no Porto Social (incubadora e aceleradora do Porto Digital para negócios de alto impacto social). Para conhecer mais sobre esse projeto inovador, acesse o site: www.proleduca.com.br

O próximo passo dos sonhos do Prol Educa é atingir a meta de 1 milhão de alunos beneficiados em todo o Brasil todo.

 


LEIA TAMBÉM NA SÉRIE EDUCAÇÃO QUE TRANSFORMA
.


Educação que transforma

.
.
Educação que se transforma em diplomacia
.
.
Educação que transforma: “Cara, a favela também pode”
..Educação que transforma: “Aproveito todo dia como se fosse o último”.

.

.

Educação que transforma: da venda de feijão à reitoria da UPE

 

*Por Rafael Dantas, repórter da revista Algomais (rafael@algomais.com)

Deixe seu comentário

Assine nossa Newsletter

No ononno ono ononononono ononono onononononononononnon